Resumo Trabalho

EFEITOS DA PERIODIZAÇÃO LINEAR E ONDULATÓRIA DO TREINAMENTO DE FORÇA NA FREQUÊNCIA DE PROPULSÃO EM RETA E EM CURVA DE CRIANÇAS PATINADORAS

Autor(es): DIEGO ALEJANDRO ROJAS JAIMES, CRISTIANO ISRAEL CAETANO, JOSÉ FRANCISO LÓPEZ-GIL, FERNANDO RENATO CAVICHIOLLI, LILIAN TERESA BUCKEN GOBBI, VICTOR SPIANDOR BERETTA, RUBIEL ANTONIO BARRERA IZQUIERDO, DENNIS CONTRERAS

NA PATINAÇÃO DE VELOCIDADE, A FREQUÊNCIA DE PROPULSÃO EM RETA E EM CURVA É UM COMPONENTE FUNDAMENTAL PARA AUMENTAR OU MANTER A VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO COM ECONOMIA ENERGÉTICA. ESTUDOS RECENTES TÊM DEMONSTRADO QUE O TREINAMENTO DE FORÇA EM CRIANÇAS GERA ADAPTAÇÕES POSITIVAS NO DESEMPENHO MOTOR E ESPORTIVO. TREINAMENTOS DE FORÇA PERIODIZADOS SÃO EFICIENTES, SENDO A PERIODIZAÇÃO LINEAR RECOMENDADA E VALIDADA PARA ESTA POPULAÇÃO. PORÉM, ATÉ O PRESENTE MOMENTO, NÃO HÁ EVIDÊNCIAS DA APLICABILIDADE DO MODELO DE PERIODIZAÇÃO ONDULATÓRIO EM CRIANÇAS. DESSA FORMA, O OBJETIVO FOI ANALISAR OS EFEITOS DA PERIODIZAÇÃO LINEAR E ONDULATÓRIA NO TREINAMENTO DE FORÇA NA FREQUÊNCIA DE PROPULSÃO EM RETA E EM CURVA EM CRIANÇAS PATINADORAS. FORAM SELECIONADAS 29 CRIANÇAS DA CATEGORIA INFANTIL (9,58±1,65 ANOS) DISTRIBUÍDAS ALEATORIAMENTE EM DOIS GRUPOS. O GRUPO DE PERIODIZAÇÃO LINEAR (GPL, N=14) DESENVOLVEU 6 NÍVEIS DE TREINAMENTO DE FORÇA DE MANEIRA SEQUENCIAL E O GRUPO DE PERIODIZAÇÃO ONDULATÓRIA (GPO, N=15) DESENVOLVEU OS NÍVEIS DE FORMA DISTRIBUÍDA EM PERÍODOS MENSAIS. A INTERVENÇÃO TEVE DURAÇÃO TOTAL DE 12 SEMANAS, SENDO DESENVOLVIDOS 6 NÍVEIS DE TREINAMENTO DE FORÇA (6 SESSÕES CADA NÍVEL) COM INTENSIDADE PROGRESSIVA DE ACORDO COM AS CARACTERÍSTICAS DA PERIODIZAÇÃO. OS EXERCÍCIOS REALIZADOS FORAM DE PLIOMETRIA, TRAÇÕES E EXERCÍCIOS FACILITADOS. A AVALIAÇÃO DA FREQUÊNCIA DE PROPULSÃO FOI REALIZADA EM PISTA OVAL DE PATINAÇÃO (200M), DIVIDIDA EM 4 TRAJETOS (2 CURVAS E 2 RETAS). AS AVALIAÇÕES FORAM REALIZADAS EM 4 MOMENTOS (PRÉ-TESTE E PÓS-TESTE 1, 2 E 3). UMA CÂMERA SONY HANDYCAM DCR-SX44 (30 HZ) FOI UTILIZADA PARA AQUISIÇÃO DE VARIÁVEIS CINEMÁTICAS E FORAM ANALISADAS PELO SOFTWARE SILICÓN COACH. A FREQUÊNCIA DE PROPULSÃO FOI ESTABELECIDA PELO NÚMERO DOS OCORRÊNCIAS DIVIDIDO PELA DURAÇÃO DE CADA TRAJETO, SENDO ANALISADAS A FREQUÊNCIA DE PROPULSÃO EM RETA (FER), EM CURVA (FEC) E TOTAL (FE200). PARA VERIFICAR O EFEITO DAS INTERVENÇÕES FOI REALIZADA UMA MANOVA PARA OS FATORES GRUPO (GPL X GPO) E MOMENTO (PRÉ, PÓS 1, 2 E 3) COM MEDIDAS REPETIDAS PARA O ÚLTIMO FATOR. HOUVE INTERAÇÃO ENTRE OS FATORES (WILKS LAMBDA=0.19; F(1,27)=8,66; P<0,001) PARA AS VARIÁVEIS FP200 (F(3,81)=6,54; P<0,01) E FPC (F(3,81)=11,39; P<0,001). O DESEMPENHO DO GPO FOI SIGNIFICATIVAMENTE MAIOR NO PÓS 2 E 3 EM COMPARAÇÃO AO PRÉ (P<0,001; P<0,001) E PÓS 1 (P<0,001; P<0,001) EM AMBAS VARIÁVEIS. O GPO APRESENTOU DESEMPENHO SIGNIFICATIVAMENTE SUPERIOR DE FPC APÓS A INTERVENÇÃO (PÓS 3) EM COMPARAÇÃO AO GPL (P<0,001). CONSIDERANDO QUE É NECESSÁRIO AUMENTAR A FREQUÊNCIA DE PASSO PARA MANTER A TRAJETÓRIA NA CURVA SEM PERDER VELOCIDADE, OS RESULTADOS SUPORTAM A CONCLUSÃO DE QUE A PERIODIZAÇÃO ONDULATÓRIA DO TREINAMENTO DE FORÇA DE 12 SEMANAS CONSEGUE GERAR MAIORES BENEFÍCIOS PARA A FREQUÊNCIA DE PROPULSÃO EM CURVA E TOTAL, EM CRIANÇAS PATINADORAS. APOIO: CNPQ (#309045/2017-7; 429549/2018-0), CAPES (CÓDIGO 001).

Veja o artigo completo: PDF