Resumo Trabalho

O LADO MAIS AFETADO PELA DOENÇA DE PARKINSON INFLUENCIA A VARIABILIDADE DO TEMPO DE RECUPERAÇÃO FRENTE À PERTURBAÇÃO MÉDIO-LATERAL.

Autor(es): VINICIUS CAVASSANO ZAMPIER , CRISTIANO ISRAEL CAETANO, JOSÉ FRANCISO LÓPEZ-GIL, FERNANDO RENATO CAVICHIOLLI, VICTOR SPIANDOR BERETTA, TAMIRES VICENTE SILVA, LILIAN TERESA BUCKEN GOBBI

EM ESTÁGIOS INICIAIS, A DOENÇA DE PARKINSON (DP) AFETA APENAS UM LADO DO INDIVÍDUO E, COM A PROGRESSÃO, O LADO DE INÍCIO SE TORNA MAIS AFETADO E O LADO QUE NÃO ERA AFETADO FICA COMPROMETIDO. A RECUPERAÇÃO DO EQUILÍBRIO TEM SIDO ESTUDADA POR MEIO DE MOVIMENTOS DE ROTAÇÃO E TRANSLAÇÃO DA SUPERFÍCIE DE APOIO E POUCOS ESTUDOS CONSIDERARAM O LADO MAIS E MENOS AFETADO AO APLICAR MOVIMENTOS DE TRANSLAÇÃO NO SENTIDO MÉDIO-LATERAL. A ASSIMETRIA NO COMPROMETIMENTO DE UM HEMICORPO PODE SER ANALISADA EM SITUAÇÕES EM QUE A DIREÇÃO DO MOVIMENTO DA SUPERFÍCIE DE APOIO COINCIDE OU NÃO COM O LADO MAIS AFETADO PELA DP. O OBJETIVO DO PRESENTE ESTUDO FOI VERIFICAR A INFLUÊNCIA DO LADO MAIS AFETADO PELA DP NA VARIABILIDADE DO TEMPO DE RESPOSTA E DO TEMPO DE RECUPERAÇÃO DE PACIENTES COM DP A PERTURBAÇÕES APLICADAS NAS DIREÇÕES COINCIDENTES OU NÃO AO LADO MAIS AFETADO. PARTICIPARAM DESTE ESTUDO 25 IDOSOS COM DP, COGNITIVAMENTE PRESERVADOS (LADO ESQUERDO MAIS AFETADO=14, UNILATERAL=7, 70,7±11,3 ANOS; BILATERAL=7, 68,4±7,3 ANOS; LADO DIREITO MAIS AFETADO=11, UNILATERAL=5, 66,2±6,6 ANOS; BILATERAL=6, 72,1±6,5 ANOS). O LADO MAIS AFETADO FOI OBTIDO ATRAVÉS DA SOMA DOS VALORES DE ITENS ESPECÍFICOS DA UPDRS III. OS PARTICIPANTES FORAM INSTRUÍDOS A PERMANECER NA POSIÇÃO EM PÉ ERETA QUIETA, COM OS PÉS PARALELOS NA DISTÂNCIA DAS ESPINHAS ILÍACAS, DURANTE 20 SEGUNDOS, SOBRE UMA PLATAFORMA DE FORÇA POSICIONADA SOBRE O RC-SLIDE. A PERTURBAÇÃO FOI APLICADA POR MEIO DE TRANSLAÇÃO HORIZONTAL DA SUPERFÍCIE DE APOIO NO SENTIDO MÉDIO-LATERAL (VELOCIDADE=15CM/S; DESLOCAMENTO=5CM). FORAM REALIZADAS 10 TENTATIVAS DE PERTURBAÇÃO POR PARTICIPANTE (5 TENTATIVAS PARA A DIREITA E 5 PARA A ESQUERDA). OS TEMPOS DE RESPOSTA E RECUPERAÇÃO FORAM OBTIDOS PELA ANÁLISE DO CENTRO DE PRESSÃO EM AMBIENTE MATLAB. A VARIABILIDADE DESTAS VARIÁVEIS FOI CALCULADA PELA DIFERENÇA ENTRE O VALOR MÉDIO DAS TENTATIVAS E O VALOR BRUTO DA TENTATIVA POR PARTICIPANTE E POR CONDIÇÃO. OS VALORES MÉDIOS DA VARIABILIDADE DE CADA VARIÁVEL FORAM TRADADOS POR MEIO DE MANOVA COM DOIS FATORES, LADO MAIS AFETADO (DIREITO E ESQUERDO) E DIREÇÃO DA PERTURBAÇÃO (DIREITO E ESQUERDO) COM MEDIDAS REPETIDAS NO SEGUNDO FATOR. A MANOVA APONTOU INTERAÇÃO ENTRE O LADO MAIS AFETADO E A DIREÇÃO DA PERTURBAÇÃO NA VARIABILIDADE DO TEMPO DE RECUPERAÇÃO (F1,23=12,080; P=0,002; ηP2=0,326). O POST HOC APONTOU QUE HOUVE MAIOR VARIABILIDADE NO TEMPO DE RECUPERAÇÃO QUANDO A PERTURBAÇÃO COINCIDIU COM O LADO MAIS AFETADO (P=0,003). ESTE AUMENTO PERMITE INFERIR QUE IDOSOS COM DP ESCOLHEM ESTRATÉGIAS DE RECUPERAÇÃO FRENTE À PERTURBAÇÃO DIFERENTES A CADA TENTATIVA. A COINCIDÊNCIA COM O LADO MAIS AFETADO INDICA MAIOR SOLICITAÇÃO DE ESFORÇO DE RECUPERAÇÃO DO DESLOCAMENTO DO CENTRO DE MASSA PROVOCADO PELA PERTURBAÇÃO, QUE PODE SER INSERIDO EM PROGRAMAS DE INTERVENÇÃO ESPECÍFICOS. APOIO: CNPQ (#309045/2017-7; #429549/2018-0), FAPESP (#2019/01203-9; #2016/00503-0) E CAPES (CÓDIGO 001).

Veja o artigo completo: PDF