Resumo Trabalho

AS LUTAS E ARTES MARCIAIS NOS CURSOS DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA NAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO

Autor(es): MONIQUE MARIE ANDRADE CAMARGO, CRISTIANO ISRAEL CAETANO, JOSÉ FRANCISO LÓPEZ-GIL, FERNANDO RENATO CAVICHIOLLI, CAMILA DE SOUZA MARTINS DE FRANÇA, CYNARA CRISTINA DOMINGUES ALVES PEREIRA, FELIPE DE PILLA VAROTTI

AS LUTAS SÃO RECONHECIDAS COMO COMPONENTE CURRICULAR DA EDUCAÇÃO BÁSICA. ESTAS PRÁTICAS SÃO RELACIONADAS À ESFERA DA CULTURA CORPORAL DO MOVIMENTO QUE, DENTRO DE SUAS ESPECIFICIDADES, TÊM SE CONSTITUÍDO SOCIAL E HISTORICAMENTE COMO CONTEÚDOS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR. INFERE-SE A EXISTÊNCIA DE UMA DIFICULDADE DA IMPLEMENTAÇÃO DOS MESMOS, ATRIBUINDO-SE À TRATATIVA DADA A DISCIPLINA LUTAS DURANTE A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR. NOSSO OBJETIVO FOI ANALISAR OS CURRÍCULOS DOS CURSOS SUPERIORES EM EDUCAÇÃO FÍSICA DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO, VERIFICANDO SE A DISCIPLINA DE LUTAS E/OU ARTES MARCIAIS É OBRIGATÓRIA OU OPTATIVA E SE HÁ UMA DIFERENCIAÇÃO TÉCNICO-TEÓRICO NO ENSINO DAS MESMAS QUE PODERÁ INFLUENCIAR A QUALIDADE DA FORMAÇÃO DOS FUTUROS PROFESSORES. NOSSO ESTUDO CLASSIFICA-SE COMO DESCRITIVO E QUALITATIVO. CONSIDERAMOS AS SEGUINTES INSTITUIÇÕES PARA A COLETA DOS DADOS: USP, UNICAMP, UNESP (BAURU, RIO CLARO E PRESIDENTE PRUDENTE), UFSCAR E UNIFESP, AS QUAIS POSSUÍAM EM SUAS EMENTAS A DISCIPLINA LUTAS E/OU ARTES MARCIAIS APLICADAS À LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA. NA UNESP/BAURU CONSTAM COMO OBRIGATÓRIAS A CAPOEIRA E KARATÊ. O DISCENTE APRENDE A MODALIDADE ESPECÍFICA. NÃO HÁ ESPECIFICAÇÃO DAS COMPETÊNCIAS ABORDADAS, BEM COMO, NÃO HÁ DISTINÇÃO ENTRE LUTAS E ARTES MARCIAIS. NA UNESP/PRESIDENTE PRUDENTE A DISCIPLINA É OBRIGATÓRIA. CONSTAM AS MODALIDADES DE LUTAS, ARTES MARCIAIS E ESPORTES DE COMBATE. CADA DISCIPLINA É ABORDADA DE FORMA A SER CLASSIFICADA EM SEU CONTEÚDO ESPECÍFICO, SIGNIFICADO E ÉTICA. JÁ NA UNESP/RIO CLARO, É OBRIGATÓRIA E OFERECE AS DISCIPLINAS DE LUTAS I – ÊNFASE EM JUDÔ - E LUTAS II – ÊNFASE EM CAPOEIRA. SÃO ABORDADAS AS DIFERENÇAS E SINGULARIDADES ENTRE LUTAS E ARTES MARCIAIS. NA USP, CONSTA A DISCIPLINA DE PEDAGOGIA DE MODALIDADES DE COMBATE, LUTAS E ARTES MARCIAIS, PORÉM ESTA DISCIPLINA NÃO FAZ PARTE DO CURRÍCULO OBRIGATÓRIO PARA A LICENCIATURA, APESAR DE SEU CONTEÚDO ABORDAR A ADAPTABILIDADE DESTAS MODALIDADES PARA A ESCOLA. HÁ DISTINÇÃO ENTRE AS ABORDAGENS DE LUTAS E ARTES MARCIAIS, COM PREOCUPAÇÃO EM CONTEMPORIZAR SUAS DEMANDAS FILOSÓFICAS. NA UNICAMP, É OBRIGATÓRIA E OBJETIVA O ENSINO TEÓRICO-PRÁTICO EM LUTAS E SUAS RELAÇÕES COM A EDUCAÇÃO FÍSICA. NÃO ENCONTRAMOS MENÇÃO A DISTINÇÃO ENTRE LUTAS E ARTES MARCIAIS. NA UFSCAR, A DISCIPLINA DE CAPOEIRA É OPTATIVA. OBSERVAMOS QUE OS CONTEÚDOS CONTEMPLAM VÁRIAS MODALIDADES, COMO: JUDÔ, KARATÊ, CAPOEIRA, KUNG-FU E JIU-JITSU, PODENDO SER CLASSIFICADA TAMBÉM COMO ESPORTES DE COMBATE. IDENTIFICAMOS TAMBÉM QUE EXISTE A PREOCUPAÇÃO EM ABORDAR E EXPLICAR AS DIFERENÇAS FILOSÓFICAS ENTRE AS ÁREAS LUTAS, ARTES MARCIAIS E ESPORTES DE COMBATE. DESSA FORMA, CONCLUÍMOS QUE AS UNIVERSIDADES QUE CONTEMPLAM ESTA DISCIPLINA DE FORMA OBRIGATÓRIA APRESENTAM EM SUAS EMENTAS CONHECIMENTOS QUE SERÃO ABORDADOS BUSCANDO PREPARAR O DISCENTE PARA A PRÁTICA EM ESCOLAS.

Veja o artigo completo: PDF