Resumo Trabalho

IMPLICAÇÕES DOS MOVIMENTOS SACÁDICOS DOS OLHOS NA OSCILAÇÃO CORPORAL ANTES, DURANTE E APÓS A MUDANÇA DE AMPLITUDE DO ESTÍMULO VISUAL

Autor(es): MATHEUS BELIZÁRIO BRITO, CRISTIANO ISRAEL CAETANO, JOSÉ FRANCISO LÓPEZ-GIL, FERNANDO RENATO CAVICHIOLLI, BEATRIZ CARVALHO CAVALIERI, DIEGO NERA LIMA, LÍVIA SCARPARO FERREIRA, SÉRGIO TOSI RODRIGUES, PAULA F. POLASTRI ZAGO

O OBJETIVO DO ESTUDO FOI AVERIGUAR O EFEITO DOS MOVIMENTOS DOS OLHOS E O AUMENTO DA DEMANDA ATENCIONAL ANTES, DURANTE E APÓS O AUMENTO DA AMPLITUDE DO ESTÍMULO VISUAL NO CONTROLE POSTURAL DE ADULTOS JOVENS. PARTICIPARAM 26 ADULTOS JOVENS (20,8 ANOS ± 2,07) QUE FORAM POSICIONADOS EM UMA PLATAFORMA DE FORÇA DENTRO DE UMA “SALA MÓVEL”, UTILIZANDO UM EQUIPAMENTO DE RASTREAMENTO DO OLHAR. OS PARTICIPANTES FORAM DIVIDIDOS EM DOIS GRUPOS: A-) GRUPO FIXAÇÃO (GFIX), CUJA TAREFA VISUAL FOI FIXAR O OLHAR EM UM ALVO ESTACIONÁRIO POSICIONADO NA PAREDE FRONTAL DA SALA; E B-) GRUPO MOVIMENTOS SACÁDICOS HORIZONTAIS IMPREVISÍVEIS (GMSI), CUJA TAREFA VISUAL FOI REALIZAR MOVIMENTOS SACÁDICOS ORA À DIREITA ORA À ESQUERDA A PARTIR DO CENTRO DA TELA, COM LOCALIZAÇÃO IMPREVISÍVEL DO ALVO. PARA O GFIX, O ALVO FOI UM CÍRCULO BRANCO NO CENTRO DA TELA E PARA O GMSI, O ALVO FOI UM “X” BRANCO NO CENTRO DA TELA E UM CÍRCULO DE COR PRETA À DIREITA OU À ESQUERDA. OS ALVOS TIVERAM DIÂMETRO DE 1,71º. TODOS OS PARTICIPANTES FORAM SUBMETIDOS À MOVIMENTAÇÃO DA SALA MÓVEL, NAS SEGUINTES CONDIÇÕES: NA 1º TENTATIVA, A SALA PERMANECEU ESTACIONÁRIA. NAS TENTATIVAS 2, 3 E 4 (PRÉ-MUDANÇA), A SALA FOI MOVIMENTADA EM AMPLITUDE BAIXA (AMPLITUDE: 0,6 CM; FREQUÊNCIA: 0,2 HZ). NA QUINTA TENTATIVA (MUDANÇA), A SALA FOI MOVIMENTADA EM AMPLITUDE ALTA (AMPLITUDE: 3,5 CM; FREQÜÊNCIA: 0,2 HZ). NAS TENTATIVAS 6, 7 E 8 (PÓS-MUDANÇA), OS PARÂMETROS DA SALA FORAM SIMILARES ÀS TENTATIVAS DE PRÉ-MUDANÇA. CADA TENTATIVA TEVE DURAÇÃO DE 75 SEGUNDOS. FORAM REALIZADAS ANOVAS COM MEDIDAS REPETIDAS TENDO COMO FATORES GRUPO (GFIX E GMSI) E A MUDANÇA DE AMPLITUDE DA SALA (PRÉ-MUDANÇA, MUDANÇA E PÓS-MUDANÇA). O α ADOTADO FOI DE 0,05. AS VARIÁVEIS DEPENDENTES FORAM: GANHO E FASE ENTRE O ESTÍMULO VISUAL E O DESLOCAMENTO DO CENTRO DE PRESSÃO (COP), VARIABILIDADE DE POSIÇÃO E VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO DO COP. OS RESULTADOS DEMONSTRARAM MENORES VALORES DE GANHO (P<0.001) E MAIORES VALORES DE VARIABILIDADE DE POSIÇÃO (P<0.001) E VELOCIDADE (P=0.001) DURANTE A MUDANÇA DE AMPLITUDE DA SALA EM COMPARAÇÃO COM OS MOMENTOS DE PRÉ-MUDANÇA E PÓS-MUDANÇA. AINDA, HOUVE MAIORES VALORES DE GANHO DURANTE A PRÉ-MUDANÇA COMPARADO AOS DE PÓS-MUDANÇA (P<0.001). OS RESULTADOS INDICARAM QUE APESAR DOS MOVIMENTOS DOS OLHOS SEREM UM FATOR COMPLICADOR PARA O FLUXO ÓPTICO, O SISTEMA DE CONTROLE POSTURAL DE ADULTOS JOVENS É CAPAZ DE REPESAR AS INFORMAÇÕES VISUAIS DIMINUINDO SUA INFLUENCIA SOBRE AS OSCILAÇÕES CORPORAIS DURANTE E APÓS A MUDANÇA DE AMPLITUDE DA SALA. AINDA, O AUMENTO DA DEMANDA ATENCIONAL (INCERTEZA DA LOCALIZAÇÃO DO ALVO) ASSOCIADO AOS MOVIMENTOS SACÁDICOS PARECE NÃO ALTERAR ESTE PROCESSO ADAPTATIVO, VISTO QUE NÃO HOUVE DIFERENÇA ENTRE OS GRUPOS. PORTANTO, PODE-SE CONCLUIR QUE OS MOVIMENTOS SACÁDICOS HORIZONTAIS DO OLHOS ASSOCIADOS COM AUMENTO DE DEMANDA ATENCIONAL NÃO ALTERARAM OS PROCESSOS ADAPTATIVOS DOS SISTEMA DE CONTROLE POSTURAL DE ADULTOS JOVENS.

Veja o artigo completo: PDF