Resumo Trabalho

DEMANDA OXIDATIVA DURANTE O CROSSFIT: ESTUDO DE CASO ENVOLVENDO A PRÁTICA DE SEQUÊNCIAS TRADICIONAIS DE EXERCÍCIOS PARA O CORPO TODO.

Autor(es): EDUARDO LESSA CESAR WITTEE, CRISTIANO ISRAEL CAETANO, JOSÉ FRANCISO LÓPEZ-GIL, FERNANDO RENATO CAVICHIOLLI, CAMILA MIDORI TAKEMOTO VASCONCELOS, LEANDRO OLIVEIRA DA CRUZ SIQUEIRA, LUIZ GUSTAVO ALMEIDA DOS SANTOS, LUCIANA SILVA DE MELLO, DALTON MULLER PESSOA FILHO e orientado por DALTON MULLER PESSOA FILHO

O CROSSFIT É GERALMENTE COMPOSTO POR DIFERENTES TIPOS DE EXERCÍCIOS QUE DEMANDAM, CONSEQUENTEMENTE, DIFERENTES AÇÕES MOTORAS E RESPOSTAS METABÓLICAS. TEM-SE VERIFICADO QUE A RESPOSTA DO METABOLISMO OXIDATIVO TENDE A VALORES CORRESPONDENTES A UM EXERCÍCIO DE ALTA INTENSIDADE, APRESENTANDO FREQUÊNCIA CARDÍACA (FC) ACIMA DE 90%, PERCEPÇÃO SUBJETIVA DO ESFORÇO (PSE) ACIMA DE OITO E ELEVAÇÃO DO CONSUMO DE OXIGÊNIO (V̇O2) A 56 E 66% DO VALOR MÁXIMO (V̇O2MAX). CONTUDO, A SEQUÊNCIA DE EXERCÍCIOS ANALISADAS INTEGRAM DEMANDAS MOTORAS ISOLADAS PARA MUSCULOS DE MEMBRO INFERIOR OU SUPERIOR, TORNANDO QUESTIONÁVEL ESSE TIPO DE RESPOSTA DO V̇O2 PARA DEMAIS SEQUÊNCIAS DE EXERCÍCIOS COM DEMANDAS MOTORAS GLOBAIS.O OBJETIVO DO ESTUDO FOI ANALISAR A RESPOSTA DO V̇O2 DURANTE O WOD (WORKOUT OF THE DAY) E AVERIGUAR A TAXA DE ELEVAÇÃO DO METABOLISMO OXIDATIVO AO COMPARÁ-LA COM O V̇O2MAX. PARTICIPARAM DO PRESENTE ESTUDO TRÊS PRATICANTES (26,3 ± 2,0 ANOS, 27±1,6 KG/M², 36±6 MESES DE PRÁTICA). OS SUJEITOS FORAM SUBMETIDOS AO TESTE INCREMENTAL PARA OBTENÇÃO DO V̇O2MAX, BEM COMO REALIZARAM O WOD CARACTERIZADA PELA SEQUÊNCIA DE EXERCÍCIOS“WALL-BALL”; “SUMO-DEADLIFT HIGH PULL”; “BOX JUMP”; “PUSH-PRESS”;“ROW CALORIES”, EXECUTADA EM TRÊS BLOCOS INTERVALADOS COM UM MINUTO DE RECUPERAÇÃO. EM TODOS OS TESTES, V̇O2 FOI ANALISADO RESPIRAÇÃO-A-RESPIRAÇÃO POR UMA UNIDADE CPET (K4B2, COSMED). O V̇O2MAX E O V̇O2 AO FINAL DO WOD (V̇O2EE) FORAM CONSIDERADOS OS VALORES MÉDIOS DE 30 SEGUNDOS MÁXIMO E FINAL, RESPECTIVAMENTE DE CADA TESTE. O V̇O2 EE FOI COMPARADO COM O VO2MAX PELO TESTE DE MANN-WHITNEY, ADOTANDO NÍVEL DE SIGNIFICÂNCIA EM P≤0,05. OS VALORES DO V̇O2EE (62,6±14.8 MLO2×KG-1×MIN-1) NÃO SE APRESENTAM DIFERENTES DOS VALORES DE V̇O2MAX (54,3±11,9 MLO2×KG-1×MIN-1), COM SCORE Z (-1,09) NÃO SIGNIFICATIVO (P=0,28). TODAVIA, O V̇O2 EE ATINGIU 115,9±16,3% DO V̇O2MAX, INDICANDO UMA TENDÊNCIA A UMA RESPOSTA OXIDATIVA MAIS ESPECÍFICA DURANTE O WOD. DESSA FORMA, AO ANALISAR UMA SEQUÊNCIA DE EXERCÍCIOS DO CROSSFIT COM PERFIL MOTOR GLOBAL , PODE-SE CONCLUIR, DE FORMA PRELIMINAR, QUE A AVALIAÇÃO DO V̇O2MAX EM ESTEIRA TENDE A NÃO ATENDER A ESPECIFICIDADE DA DEMANDA FISIOLÓGICA QUE OS ATLETAS ESTÃO INSERIDOS EM SUAS ROTINAS DE TREINAMENTO. RECOMENDA-SE, PORTANTO, UMA AVALIAÇÃO MAIS ESPECÍFICA PARA A MENSURAÇÃO DA APTIDÃO AERÓBIA MÁXIMA EM ATLETAS DESSA MODALIDADE.

Veja o artigo completo: PDF