Resumo Trabalho

A INCLUSÃO DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA

Autor(es): DÉBORA ARIEL DOS PASSOS ALVES, CRISTIANO ISRAEL CAETANO, JOSÉ FRANCISO LÓPEZ-GIL, FERNANDO RENATO CAVICHIOLLI, RUI ANDERSON COSTA MONTEIRO

ATUALMENTE, A INCLUSÃO ESTÁ EM EVIDÊNCIA NAS DISCUSSÕES ACADÊMICAS E NAS DEMAIS ÁREAS DA SOCIEDADE. A ESCOLA INCLUSIVA TEM COMO PAPEL PRINCIPAL INTERVIR DE MANEIRA A PROPORCIONAR INTEGRAÇÃO ENTRE TODOS OS ALUNOS E ATORES ESCOLARES. A LDB 9394/96 REGISTRA O ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO PREFERENCIALMENTE NA REDE REGULAR DE ENSINO (BRASIL, 1996). NESTE SENTIDO, QUAIS AS DIFICULDADES QUE OS ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL ENFRENTAM NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA? NESTE CONTEXTO OS OBJETIVOS CONSISTIRAM NO SEGUINTE: REVISAR OS CONCEITOS QUE ENVOLVEM A INCLUSÃO. IDENTIFICAR POSSIBILIDADES DE INCLUSÃO DO ALUNO COM DEFICIÊNCIA VISUAL NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA E REFLETIR SOBRE OS DESAFIOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL NA SOCIEDADE. O TRABALHO APRESENTOU COMO PROCEDIMENTO METODOLÓGICO A ANÁLISE QUALITATIVA DA REVISÃO DE LITERATURA SOBRE A RELAÇÃO ENTRE EDUCAÇÃO FÍSICA E INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL. NO BRASIL, APROXIMADAMENTE 1,0 A 1,5% DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA POSSUEM DEFICIÊNCIA VISUAL, OU SEJA, EM TORNO DE 1,7 MILHÕES DE PESSOAS, SENDO APROXIMADAMENTE 80% COM BAIXA VISÃO E 20% CEGAS (RAPOSA E CARVALHO, 2010). ATUALMENTE O DOCENTE TEM MAIS EXIGÊNCIAS PARA O DESENVOLVIMENTO DE UM TRABALHO EDUCACIONAL EFICIENTE E VARIADO POR CONTA DA HETEROGENEIDADE DAS TURMAS, SEJA POR QUESTÕES CULTURAIS, INTELECTUAIS E PRINCIPALMENTE, PELO GRANDE NÚMERO DE ALUNOS COM NECESSIDADES ESPECIAIS. A DEFICIÊNCIA VISUAL PODE AFETAR AS HABILIDADES E CAPACIDADES DO INDIVÍDUO ENVOLVIDAS A UMA SÉRIE DE FATORES DA VIDA DIÁRIA (GUEDES E PINTO, 2012). AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL TENDEM A SE PRIVAREM DAS ATIVIDADES FÍSICAS, UMA VEZ QUE CRIAM BARREIRAS DESNECESSÁRIAS POR MEIO DO SENTIMENTO DE DESVANTAGEM E INFERIORIDADE. ENTRETANTO, O ENVOLVIMENTO EM ATIVIDADES FÍSICAS E NOS ESPORTES EM GERAL PODE SER COMPONENTE IMPORTANTE DE AUTOVALORIZAÇÃO DIANTE DA SUA REALIDADE. O PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA TEM O COMPROMISSO DE ENTENDER ESTE ALUNO E FOMENTAR ATIVIDADES EM FAVOR DA SUA PARTICIPAÇÃO. A ELABORAÇÃO DA AULA DEVE LEVAR EM CONTA SEU GRAU DE DIFICULDADE E VALORIZAR O DIREITO DESTE ALUNO PARTICIPAR DAS AULAS COM OS OUTROS COLEGAS. A FALTA DE MATERIAL E ESTRUTURA INADEQUADA COMPROMETE O PROCESSO, MAS É PRECISO A TENTATIVA DE ADAPTAÇÃO E A REIVINDICAÇÃO CONSTANTE, POR PARTE DO PROFESSOR, EM FAVOR DE MELHORES CONDIÇÕES À ESCOLA INCLUSIVA. PORTANTO, O PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA TEM A RESPONSABILIDADE DE BUSCAR ESTRATÉGIAS EDUCACIONAIS ADEQUADAS E ATUALIZAR-SE CONTINUAMENTE. A GESTÃO ESCOLAR PRECISA PROVER OS RECURSOS NECESSÁRIOS AO AMBIENTE ESCOLAR INCLUSIVO. SÃO FUNDAMENTAIS POLÍTICAS PÚBLICAS CONSTANTES (LEIS E INVESTIMENTOS). POR FIM, O DIÁLOGO CONTÍNUO ENTRE TODA COMUNIDADE ESCOLAR TORNARÁ A ESCOLA E A AULA DE EDUCAÇÃO FÍSICA MAIS INCLUSIVA AOS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA VISUAL.

Veja o artigo completo: PDF