Resumo Trabalho

TREINAMENTO RESISTIDO PARA MEMBROS INFERIORES: ESTUDO DE CASO COMPARATIVO DO DISPÊNDIO CALÓRICO ENTRE PRESCRIÇÃO TRADICIONAL E COM RESTRIÇÃO DE FLUXO SANGUÍNEO.

Autor(es): ANDREI SANCASSANI, CRISTIANO ISRAEL CAETANO, JOSÉ FRANCISO LÓPEZ-GIL, FERNANDO RENATO CAVICHIOLLI, ANDERSON GEREMIAS MACEDO, LUIZ GUSTAVO ALMEIDA DOS SANTOS, EDUARDO LESSA CESAR WITTEE, LARISSA TAKEHANA, DALTON MULLER PESSOA FILHO

O TREINAMENTO RESISTIDO (TR) É UM EXERCÍCIO QUE CONTRIBUI PARA ALTERAÇÕES DA COMPOSIÇÃO CORPORAL PELO AUMENTO DA MASSA MAGRA CORPORAL. PORÉM, O PAPEL DE TR NA REDUÇÃO DA MASSA GORDA CORPORAL REQUER ESTUDOS QUE COMPROVEM SUA EFETIVIDADE, EM VARIADOS MODOS DE PRESCRIÇÃO, DE PROMOVER UM DISPÊNDIO CALÓRICO (DC) ELEVADO. O TREINAMENTO COM RESTRIÇÃO DE FLUXO SANGUÍNEO (RFS) É UM PROCEDIMENTO CAPAZ DE ESTIMULAR UMA DEMANDA ENERGÉTICA DE FONTES ANAERÓBIAS DURANTE A EXECUÇÃO DE EXERCÍCIOS COM BAIXA INTENSIDADE DE CARGA E, POR ISSO, VEM DEMONSTRANDO EFETIVIDADE SOBRE AS ALTERAÇÕES DE FORÇA E MASSA MUSCULAR, MAS NÃO HÁ INFORMAÇÕES SOBRE DC COM ESSE TIPO DE ESTRATÉGIA. SE AS ALTERAÇÕES DE FORÇA E MASSA MUSCULAR TENDEM A SER SIMILARES ENTRE TR CONVENCIONAL (ALTA INTENSIDADE DE CARGA - TRHIGH_CONV) E TR COM INTENSIDADE BAIXA DE CARGA MAIS RFS (TRLOW_RFS), ENTÃO O OBJETIVO FOI COMPARAR GC, EM CARÁCTER EXPERIMENTAL, DURANTE UMA SESSÃO AGUDA DE TRLOW_RFS E TRHIGH_CONV ENVOLVENDO APENAS EXERCÍCIOS PARA MEMBROS INFERIORES, INFERINDO QUE RFL DEMANDARIA MAIOR DC POR MAIOR ESTÍMULO ENERGÉTICO ANAERÓBIO. TRÊS JOVENS TREINADOS DO SEXO MASCULINO (25,6 ± 3,5 ANOS DE IDADE, 93,3 ± 10,5 KG DE PESO CORPORAL, 181,1 ± 8,2 CM DE ESTATURA E 19,7 ± 1,8 % DE GORDURA CORPORAL) FORAM AVALIADOS PELO TESTE DE UMA REPETIÇÃO MÁXIMA (1RM) PARA DETERMINAR A FORÇA MUSCULAR. OS EXERCÍCIOS AVALIADOS FORAM CADEIRA EXTENSORA (CE), MESA FLEXORA (MF), LEG PRESS 45º (LP) E PANTURRILHA NO HACK (PH). A PARTIR DE 1RM, OS PROTOCOLOS DE TR FORAM ESTRUTURADOS EM TRLOW_RFS COM 30% 1RM E TRHIGH_CONV 70% 1RM. EM TRLOW_RFS, REALIZOU-SE TRÊS SÉRIES, 15 REPETIÇÕES, 30 SEGUNDOS DE PAUSA ENTRE AS SÉRIES E TRÊS MINUTOS PAUSA ENTRE CADA EXERCÍCIO. NA SESSÃO TRHIGH_CONV, REALIZOU-SE TRÊS SÉRIES, 12 REPETIÇÕES, 60 SEGUNDOS DE PAUSA ENTRE AS SÉRIES E DOIS MINUTOS DE PAUSA ENTRE CADA EXERCÍCIO. O VALOR DE GC (KCAL×MIN-1) FOI CALCULADO PELA EQUAÇÃO [(3,941×V̇O2) + (1,106×V̇CO2)], EMPREGANDO A RESPOSTA DE V̇O2 E V̇CO2 OBTIDOS RESPIRAÇÃO-A-RESPIRAÇÃO DURANTE CADA TR POR UMA UNIDADE CPET PORTÁTIL (K4B2, COSMED). OS VALORES DE GC PARA CADA EXERCÍCIO FORAM COMPARADOS QUANTO AO EFEITO DE CADA INTERVENÇÃO POR KRUSKAL-WALLIS, ADOTANDO-SE P ≤ 0,05 PARA O NÍVEL DE SIGNIFICÂNCIA. OS RESULTADOS DEMONSTRARAM QUE GC DURANTE OS EXERCÍCIOS DE TRLOW_RFS (CE: 18,9 ± 6,6 KCAL×MIN-1; MF: 16,5 ± 4,6 KCAL×MIN-1; LG: 16,1 ± 5,0 KCAL×MIN-1 E PH: 9,0 ± 4,0 KCAL×MIN-1) NÃO APRESENTARAM DIFERENÇAS QUANTO À EXECUÇÃO DESTES MESMOS EXERCÍCIOS EM TRHIGH_CONV (CE: 16,7 ± 4,2 KCAL×MIN-1; MF: 9,7 ± 3,5 KCAL×MIN-1; LP: 14,0 ± 8,8 KCAL×MIN-1 E PH: 8,6 ± 5,4 KCAL×MIN-1), COM RANQUE MÉDIO DE 14,0 (TRLOW_RFS) E 11,0 (TRHIGH_CONV) E SIGNIFICÂNCIA P = 0,299. PORTANTO, CONCLUI-SE QUE A INTERVENÇÃO POR TRLOW_RFS DEMANDA EFEITO SIMILAR À TRHIGH_CONV SOBRE GC, MAS A EXECUÇÃO COM BAIXA INTENSIDADE DE CARGA TENDE A FAVORECER O ENGAJAMENTO POR OFERECER MENOR RISCO À PRATICANTES INEXPERIENTES, OU EM PROCESSO TERAPÊUTICO, E ASSIM MAIOR VERSATILIDADE PRÁTICA.

Veja o artigo completo: PDF