Resumo Trabalho

EFEITO DE UMA SESSÃO COMBINADA DE ESTIMULAÇÃO TRANSCRANIANA POR CORRENTE CONTÍNUA E EXERCÍCIO AERÓBIO NO TEMPO DE REAÇÃO DE PACIENTES COM DOENÇA DE PARKINSON.

Autor(es): NÚBIA RIBEIRO DA CONCEIÇÃO, CRISTIANO ISRAEL CAETANO, JOSÉ FRANCISO LÓPEZ-GIL, FERNANDO RENATO CAVICHIOLLI, LILIAN TERESA BUCKEN GOBBI, PRISCILA NÓBREGA-SOUSA, DIEGO ORCIOLI-SILVA, VICTOR SPIANDOR BERETTA, RODRIGO VITÓRIO

Pacientes com doenÇa de Parkinson (DP) comumente apresentam comprometimentos em funÇÕes cognitivas (atenÇÃo, funÇÕes executivas e velocidade de processamento) processadas no cÓrtex prÉ-frontal. Tais comprometimentos sÃo pouco responsivos ao tratamento medicamentoso e terapias complementares sÃo necessÁrias. O exercÍcio aerÓbio e a estimulaÇÃo transcraniana por corrente contÍnua (ETCC), separadamente, tÊm grande potencial terapÊutico na DP, incluindo benefÍcios para a cogniÇÃo. Entretanto, pouco se sabe sobre os efeitos da combinaÇÃo destas intervenÇÕes. Assim, o objetivo foi comparar o efeito de uma sessÃo combinada de exercÍcio aerÓbio e ETCC anÓdica do cÓrtex prÉ-frontal com o de uma sessÃo de exercÍcio aerÓbio no tempo de reaÇÃo simples (TRS) e de escolha (TRE) de pacientes com DP. O desenho experimental utilizado foi de estudo crossover contrabalanceado, com a participaÇÃo de 20 pacientes com DP. Inicialmente, metade da amostra realizou o exercÍcio aerÓbio concomitante a ETCC anÓdica ativa e a outra metade realizou o exercÍcio aerÓbio concomitante a ETCC placebo (sham). ApÓs uma semana, os participantes receberam os protocolos invertidos. Para a ETCC, o eletrodo Ânodo foi posicionado sobre o cÓrtex prÉ-frontal do hemisfÉrio cerebral mais afetado pela DP e o eletrodo catodo na regiÃo supraorbitral contralateral. Na sessÃo de estimulaÇÃo ativa, os pacientes receberam corrente com intensidade de 2mA durante 20 minutos. Na sessÃo sham, a estimulaÇÃo foi aplicada apenas nos 10 segundos iniciais. O exercÍcio aerÓbio foi realizado em bicicleta ergomÉtrica com duraÇÃo de 30min, sendo: 5min de aquecimento, 20min com intensidade de 65–70% da frequÊncia cardÍaca mÁxima (ETCC ativa/sham) e 5min de volta a calma. O TRS e o TRE (dois estÍmulos e duas respostas possÍveis), em 10 tentativas cada, foram avaliados por meio de testes computadorizados antes (momento prÉ) e apÓs (momento pÓs) cada sessÃo de intervenÇÃo. Para anÁlise de desempenho, foi utilizada a mÉdia das cinco melhores tentativas de cada paciente (em cada teste e cada momento). ANOVAs two-way com medidas repetidas para momento (prÉ e pÓs) e condiÇÃo (ativa e sham) foram empregadas. A ANOVA revelou interaÇÃo entre os fatores para TRS (F1,19=5,248 p=0,034) e tendÊncia de interaÇÃo para TRE (F1,19=3,711 p=0,069). Testes post hoc de Bonferroni indicaram que os pacientes melhoraram o TRS (p=0,004) e o TRE (p=0,019) apenas apÓs a sessÃo com ETCC ativa. Os resultados sugerem que uma sessÃo combinada de ETCC anÓdica do cÓrtex prÉ-frontal e exercÍcio aerÓbio (e nÃo uma sessÃo de exercÍcio aerÓbio apenas) É capaz de melhorar o TRS e o TRE de pacientes com DP. A estimulaÇÃo anÓdica do cÓrtex prÉ-frontal pode ter gerado maior ativaÇÃo das Áreas responsÁveis pelas funÇÕes executivas e atencionais, melhorando a resposta eferente. Apoio: CNPq#147763/2017-7; 309045/2017-7; 429549/2018-0; FAPESP#2016/21499-1; 2014/22308-0; CAPES (CÓdigo 001).

Veja o artigo completo: PDF