Resumo Trabalho

EFEITOS DO EXERCÍCIO AERÓBICO NO RISCO CARDIOVASCULAR DAS MULHERES EM AYACUCHO

Autor(es): OSCAR GUTIÉRREZ HUAMANÍ, CRISTIANO ISRAEL CAETANO, JOSÉ FRANCISO LÓPEZ-GIL, FERNANDO RENATO CAVICHIOLLI, EDWIN HECTOR EYZAGUIRRE MALDONADO, MAGNA MARICIA MENESES CALLIRGOS, NARVAEZ LOPE, FLORABEL ROSARIO, CIRO AUGUSTO MADUEÑO GARCÍA, JUAN PARIONA CAHUANA

OrganizaÇÕes de saÚde alertam que o acÚmulo de tecido adiposo visceral É um importante fator de risco cardiovascular, por isso recomenda a mensuraÇÃo do perÍmetro abdominal como complemento do cÁlculo do Índice de massa corporal (IMC). O risco cardiovascular em populaÇÕes saudÁveis É moderado. Os diferentes fatores de risco cardiovascular sÃo: idade, sexo, colesterol total, colesterol HDL, pressÃo arterial e tabagismo. A doenÇa cardÍaca isquÊmica É a principal causa de morte e ocupa o 16º lugar na lista de incapacidades nos Estados. Os fatores de risco cardiovasculares ligados aos hÁbitos de vida É um fenÔmeno em que o contexto atual É marcado. DoenÇas do sistema circulatÓrio É a principal causa de morte e hospitalizaÇÃo na populaÇÃo espanhola, com o aumento constante nos Últimos anos, tanto em homens quanto em mulheres. O objetivo do estudo foi conhecer os efeitos do exercÍcio aerÓbico no risco cardiovascular de mulheres em Ayacucho – 2018. O recrutamento foi atravÉs de meios de comunicaÇÃo locais e redes sociais, com uma mostra de 20 voluntarias que trabalharam no LaboratÓrio de Atividade FÍsica y SaÚde com uma idade de 35,15 ± 4,98. Os critÉrios de inclusÃo foram: mulheres maiores de 30 anos de idade, assinar o termo de consentimento livre e esclarecido e participar de 90% das sessÕes de exercÍcios aerÓbicos. Com o mÉtodo preexperimental PrÉ-teste y PÓs-teste com uma mostra. Foram utilizados os dados antropomÉtricos, perÍmetros corporais e pressÃo arterial e pulso para controlar o risco cardiovascular. Os resultados mostram melhoras nÃo significativas nos parÂmetros dos dados antropomÉtricos e perÍmetros corporais quando comparado o prÉ-teste y pÓs-teste com Wilcoxon teste. No IMC de 26,50 ±3,0 no prÉ-test a 26,31 ±3,03 do pÓs-teste. No perÍmetro da cintura de 90,52 ±9,28 do prÉ-teste a 89,95 ±9,49 do pÓs-teste. Nos resultados da pressÃo sistÓlica se alcanÇou uma melhora significativa com um valor de p =0,01 no teste de Wilcoxon com 105,4 mm Hg ± 8,51 no prÉ-teste em comparaÇÃo a 98,85 mm Hg ± 6,28 no pÓs-teste, mantendo quase invariÁveis as pulsaÇÕes de 81,45 a 81,25, quando se comparam as mÉdias. A conclusÃo dos efeitos do exercÍcio aerÓbico no risco cardiovascular de mulheres em Ayacucho teve melhoras nÃo significativas nos valores das medidas antropomÉtricas, perÍmetros corporais. O exercÍcio aerÓbico moderado mostra mudanÇas interessantes na pressÃo arterial feminina, diminuindo significativamente a pressÃo sistÓlica (p = 0,01) de 105,4 para 98,85 mmHg quando comparamos o prÉ-teste e o pÓsteste no teste Wilcoxon. Observou-se um decrÉscimo nÃo significativo na pressÃo diastÓlica de 72,3 para 69,2 mmHg. O impacto social ou implicaÇÕes do trabalho É motivar a populaÇÃo saudÁvel a prevenir o risco cardiovascular, modificando e adotando um estilo de vida mais saudÁvel, com a avaliaÇÃo e intervenÇÃo motora (exercÍcios aerÓbicos) aumentando a conscientizaÇÃo sobre a prevenÇÃo primÁria.

Veja o artigo completo: PDF