Resumo Trabalho

RELAÇÃO ENTRE TESTES FÍSICOS E VARIÁVEIS DE DESEMPENHO EM DUATLETAS: RESULTADOS EXPLORATÓRIOS NA MODALIDADE SPRINT.

Autor(es): ANDRESSA MELLA PINHEIRO, CRISTIANO ISRAEL CAETANO, JOSÉ FRANCISO LÓPEZ-GIL, FERNANDO RENATO CAVICHIOLLI, ANGÉLICA TUONO, JOÃO PAULO BORIN

O duathlon É uma modalidade esportiva que consiste na combinaÇÃo de corrida e ciclismo. As competiÇÕes variam em distÂncias e formatos, sendo que as mais utilizadas sÃo: “Sprint”, com 5km de corrida + 20km de ciclismo + 2,5km de corrida e “Olympic” com 10km de corrida + 40km de ciclismo + 5km de corrida. Entender a condiÇÃo fÍsica dos atletas É essencial para que se possa comparar resultados, traÇar objetivos, alÉm de planejar e monitorar o treinamento de acordo com as caracterÍsticas da prova. Sendo assim, o objetivo do presente estudo foi verificar a correlaÇÃo entre os testes de altura de salto e potÊncia aerÓbia com os resultados na prova de Sprint. Participaram do estudo seis atletas do sexo masculino pertencentes a equipe da cidade de SÃo Pedro/SP, que participaram da primeira prova da temporada 2019 na distÂncia Sprint. Foram anotados os tempos totais e as velocidades mÉdias da corrida 1 (5 Km), do ciclismo (20 Km) e da corrida 2 (2,5 Km), excluindo os tempos de transiÇÃo. Na semana que procedeu a prova, foram realizados testes de salto vertical, com a tÉcnica de contramovimento (CMJ) e o de potÊncia aerÓbia, por meio do protocolo proposto por Carminatti, Lima-Silva e de Oliveira (2004) - T-Car. ApÓs as coletas utilizou-se do teste de normalidade Shapiro-Wilk, para a normalidade dos dados e, a seguir, a correlaÇÃo de Pearson entre as variÁveis.. Os principais resultados apontam para correlaÇÃo muito forte e significativa entre o desempenho no teste T-Car e velocidade mÉdia na corrida 1 (p = 0,006 e r = 0,93); correlaÇÃo forte e significativa entre T-Car e velocidade mÉdia no ciclismo (p=0,024 e r = 0,87); e tambÉm uma correlaÇÃo negativa forte e significativa para o desempenho no T-Car e o tempo total de prova (p = 0,017 e r = -0,89). Em relaÇÃo À altura do salto vertical, tambÉm foram encontradas correlaÇÕes fortes e significativas entre as velocidades mÉdias da corrida 1 (p = 0,04 e r = 0,81), ciclismo (p = 0,03 e r = 0,84) e corrida 2 (p = 0,03 e r = 0,85). Deste modo, É possÍvel concluir que os testes T-Car e salto vertical (CMJ), possuem uma relaÇÃo Íntima com a velocidade mÉdia de ciclismo e corrida, tempo total e parciais apresentados na prova de duathlon, apontando para viabilidade de sua utilizaÇÃo na relaÇÃo do duathlon, na distÂncia Sprint, com o desempenho na prova.

Veja o artigo completo: PDF