Resumo Trabalho

CONFIABILIDADE DE ALL-OUT DE TRÊS MINUTOS PARA OBTENÇÃO DE CAPACIDADE ANAERÓBIA EM CORRIDA

Autor(es): MARIA CAROLINA TRAINA GAMA, CRISTIANO ISRAEL CAETANO, JOSÉ FRANCISO LÓPEZ-GIL, FERNANDO RENATO CAVICHIOLLI, FÚLVIA DE BARROS MANCHADO-GOBATTO, PEDRO PAULO MENEZES SCARIOT, FILIPE ANTÔNIO DE BARROS SOUSA, CLAUDIO ALEXANDRE GOBATTO

All-out de trÊs minutos (3MT) É um protocolo de avaliaÇÃo fundamentado no modelo linear potÊncia versus 1/tempo do teste original de potÊncia crÍtica. Nessa aplicaÇÃo mÁxima de trÊs minutos, os parÂmetros metabÓlicos de capacidades aerÓbia (EP) e anaerÓbia (WEP) sÃo derivados da anÁlise matemÁtica da cinÉtica da potÊncia mecÂnica produzida pelo avaliado em um dia de aplicaÇÃo. O objetivo deste trabalho foi verificar as associaÇÕes entre WEP e os parÂmetros anaerÓbios mecÂnicos e metabÓlicos obtidos durante aplicaÇÃo de 3MT em corrida atada na esteira rolante nÃo motorizada (ENM). Nove indivÍduos treinados recreacionalmente em corrida (24±4 anos, 82±8 kg; 180±8 cm; 9.0±2.5% gordura corporal) realizaram teste de intensidade mÁxima de corrida atada de 3 minutos (3MT) em ENM apÓs aquecimento de 5 minutos de caminhada em esteira motorizada a 6 km/h. O consumo de oxigÊnio (VO2) e a produÇÃo de gÁs carbÔnico (VCO2) foram aferidos durante 10 minutos apÓs o teste por meio da utilizaÇÃo do analisador de gases (Cosmed Italy K4b²) e o EPOC (ml/Kg/min) calculado por aplicaÇÃo de equaÇÃo bi-exponencial. Foram coletados 25µL de sangue 5 minutos apÓs o final do teste para posterior leitura e determinaÇÃo da concentraÇÃo de lactato pico (LACP). Por meio da anÁlise da cinÉtica da potÊncia produzida de forma espontÂncea na ENM, foi possÍvel a obtenÇÃo dos dados mecÂnicos de PotÊncia pico (PP), potÊncia mÉdia total (PM), forÇa pico (FP) e forÇa mÉdia (FM) de 3MT. EP foi determinada por meio da mÉdia de potÊncia dos trinta segundos finais e WEP como o valor da Área total acima da linha de valor de EP. Os valores de mÉdia e desvio padrÃo das variÁveis obtidas foram WEP (57,8±25kJ), LACP (16±3mmol/L), EPOC (9,4±2L/kg), PP (2171±538W), PM (742±175W), FP(409±82N), FM (309±63N). CorrelaÇÕes de Pearson (p≤0.05) foram apresentadas entre WEP e as variÁveis fisiolÓgicas e mecÂnicas de LACP (r=0,71), EPOC (r=0,89), PP (r=0,83), PM (r=0,70) FP (r=0,81) e FM (r=0,67). Considerando que o indivÍduo atinge a exaustÃo ao final de 3MT e que WEP pode ser definida como uma quantidade finita de trabalho que se esgota atÉ a fadiga em intensidades severas de exercÍcio, tais associaÇÕes representam uma relaÇÃo de WEP ao esgotamento das vias energÉticas anaerÓbias. Tal suposiÇÃo É fortalecida pelos elevados valores de LACP, sendo esse um forte marcador da contribuiÇÃo glicolÍtica, alÉm do EPOC representar fisiologicamente o restabelecimento dos estoques de O2 no sangue e no mÚsculo para a ressÍntese do ATP e da PCr, bem como a remoÇÃo do lactato, decorrentes principalmente da alta intensidade de esforÇo na fase inicial do teste. Sendo assim, em conjunto, os resultados sÃo robustos em considerar a WEP um Ótimo preditor da capacidade anaerÓbia nesse protocolo e ergÔmetro de corrida utilizados.

Veja o artigo completo: PDF