Resumo Trabalho

CUSTOS COM MEDICAMENTOS, SEGUNDO NÍVEL DE ATIVIDADE FÍSICA E DIAGNÓSTICO DE DIABETES: COORTE DE 4 ANOS.

Autor(es): KELLY AKEMI KIKUTI KOYAMA, CRISTIANO ISRAEL CAETANO, JOSÉ FRANCISO LÓPEZ-GIL, FERNANDO RENATO CAVICHIOLLI, LUANA CAROLINA DE MORAIS, ITALO RIBEIRO LEMES, BRUNA CAMILO TURI-LYNCH, HENRIQUE LUIZ MONTEIRO, JAMILE SANCHES CODOGNO

A populaÇÃo de diabÉticos vem aumentando mundialmente, em 2017 atingiu cerca de 425 milhÕes de pessoas. Sabe-se que o tratamento do diabetes mellitus (DM) alcanÇa valores elevados, por outro lado, estudos mostram que a prÁtica de atividades fÍsicas É capaz de mitigar substancialmente estes custos. O objetivo do presente estudo foi averiguar o impacto do DM sobre os custos com medicamentos em adultos e identificar o efeito da atividade fÍsica nessa relaÇÃo. O estudo, de carÁter longitudinal, acompanhou por quatro anos pacientes cadastrados em uma das cinco Unidades BÁsicas de SaÚde, selecionadas para a pesquisa, da cidade de Bauru-SP. Os pacientes foram avaliados de dois em dois anos (2010, 2012 e 2014). A presenÇa de DM foi identificada atravÉs do inquÉrito de morbidades referidas, desenvolvido por Freitas Junior. Para atividade fÍsica foi utilizado o questionÁrio de Baecke. Custos com medicamentos foram analisados atravÉs da leitura dos prontuÁrios clÍnicos dos participantes e os medicamentos foram classificados de acordo com a sua indicaÇÃo terapÊutica. Para anÁlise estatÍstica, foram utilizados os testes de Mann-Whitney, teste de analise de variÂncia (ANOVA) para medidas repetidas, e medidas de effect size foram expressas com valores de eta-squared (ES-r). O nÍvel de significÂncia (p-valor) foi estabelecido em valores inferiores a 5%. A amostra foi composta por 620 pessoas (166 homens [26,8%] e 454 mulheres [73,2%]). Quando comparados os custos com medicamentos, segundo a presenÇa de diabetes mellitus, pode-se observar que os diabÉticos apresentaram maiores gastos com medicamentos para doenÇas do “aparelho circulatÓrio” (p-valor= 0,001), doenÇas “endÓcrinas, nutricionais e metabÓlicas” (p-valor= 0,001), bem como para custos totais com medicamentos, computados entre 2010 e 2014, (p-valor= 0,001). O diagnÓstico de DM impactou significativamente a trajetÓria dos custos com medicamentos (Fator Diabetes: ES-r= 0,224 [22,4%] com p-valor= 0,001; Fator Tempo x Diabetes: ES-r= 0,015 [1,5%] com p-valor= 0,002), quando as analises foram ajustadas pelo nÍvel de atividade fÍsica o impacto do diabetes mellitus nos custos foi levemente atenuado, e a prÁtica de atividades fÍsicas explicou 0,9% da variÂncia observada na trajetÓria dos custos entre 2010 e 2014. Nesse sentido, pacientes acometidos com DM tendem a apresentar maiores custos com medicamentos de doenÇas do aparelho circulatÓrio, doenÇas endÓcrinas, nutricionais e metabÓlicas e custos totais, sendo que a atividade fÍsica pode reduzir os custos com saÚde.

Veja o artigo completo: PDF