Artigo Anais II CONBRACIS

ANAIS de Evento

ISSN: 2525-6696

HETEROGENEIDADE DAS DOENÇAS REUMÁTICAS E DOENÇAS RARAS APRESENTADAS POR PACIENTES ATENDIDOS NUMA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE DE CAMPINA GRANDE - PB.

Palavra-chaves: DOENÇA REUMÁTICA, DOENÇA RARA, UBS Comunicação Oral (CO) AT-01: Medicina
"2017-06-14 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1638
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 29344
    "edicao_id" => 60
    "trabalho_id" => 131
    "inscrito_id" => 785
    "titulo" => "HETEROGENEIDADE DAS DOENÇAS REUMÁTICAS E DOENÇAS RARAS APRESENTADAS POR PACIENTES ATENDIDOS NUMA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE DE CAMPINA GRANDE - PB."
    "resumo" => "Atenção Primária é considerada a porta de entrada do Sistema Único de Saúde (SUS), tornando as Unidades Básicas de Saúde (UBS) o local onde indivíduos portadores de doenças e agravos crônicos não transmissíveis (DANT) e outros tipos de patologias são identificados, acolhidos e, em alguns casos, referenciados para serviços de maior complexidade. Dentre as DANT encontram-se as doenças reumáticas, já dentre o outro espectro de afecções que chegam às demandas do SUS tem-se as doenças raras. Assim, este trabalho tem por objetivo traçar o perfil dos pacientes portadores de doenças reumáticas e identificar e discorrer sucintamente as doenças raras abordadas numa UBS de Campina Grande-PB. Os dados para este trabalho foram obtidos da UBS Raimundo Carneiro em Campina Grande-PB, no Bairro do Pedregal. Foram extraídos de fichas existentes na Unidade, transferidos para tabelas do Microsoft Excel que continham, para os portadores de doenças reumáticas, as variáveis: idade, sexo, doença. Para Doença Rara, utilizou-se as mesmas tabelas, observando quais estavam presentes. No que tange as doenças reumáticas, foram identificados treze pacientes. Destes, doze do sexo feminino e um do sexo masculino. Verificou-se 1 paciente até 19 anos, cinco  pacientes na faixa de 30-39 anos, quatro de 40-49 anos, 1 de 50-59 anos, 1 de 70-79 anos e 1 de 80-89 anos. Quanto aos tipos de doença reumática, observou-se 4 tipos: Doença Reumática oriunda de Febre Reumática, Lupus Eritematoso Sistêmico (LES), Artrite Reumatóide (AR) e Osteoartrose. Destas, verificou-se 5 indivíduos com Doença Reumática oriunda de Febre Reumática, 4 com LES, 3 com AR e 1 com Osteoartrose. Com isso, notou-se a concordância com a literatura: as mulheres são o grupo mais afetado por essas doenças, especificamente na faixa que vai dos 30-40 anos, graças a relação dos sistemas imune e endócrino. Houve predomínio de LES e AR, o que coaduna com a literatura como sendo doenças mais comumente vistas. No caso da AR, atingindo predominantemente mulheres e pico de incidência de 30-50 anos. Para LES acomete também, predominante, mulheres e pico de incidência em idade reprodutiva a partir dos 20 anos. No que concerne ao aparecimento de doenças raras, foram detectados dois portadores assistidos pela Unidade: Sídrome de Wiskott-Aldrich (indivíduo do sexo masculino, 17 anos), Síndrome de Ehlers-Danlos (indivíduo do sexo feminino, 16 anos.  A primeira é tem incidência de 1- 10 em 1 milhão de indivíduos. A segunda tem acometimento de 1 em 5000 indivíduos. Ambas com manifestações clínicas distintas. Observa-se, assim, quão heterogênea é a variedade de doenças vistas numa UBS cotidianamente. De tal modo, que o conhecimento delas possibilita a descoberta da realidade local, uma vez que muitas delas ocorrem e progridem relacionadas a condições biossocioeconômicas locais. Da mesma forma, deve-se olhar para as síndromes raras encontradas, pois , necessitam de atendimento especializado e direcionado aos demais níveis de Atenção. Com isso, a presença da UBS na vida dos portadores dessas doenças, leva-os a informações e cuidados maiores acerca do problema, redundando em um aumento considerável na qualidade de vida, graças ao acesso aos meios de saúde."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO)"
    "area_tematica" => "AT-01: Medicina"
    "palavra_chave" => "DOENÇA REUMÁTICA, DOENÇA RARA, UBS"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV071_MD1_SA1_ID785_30042017195949.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:15"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:29:30"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "FELIPE OLIVEIRA BARBOSA"
    "autor_nome_curto" => "FELIPE OLIVEIRA"
    "autor_email" => "felipeoliveira321@gmail.c"
    "autor_ies" => "UFCG"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-ii-conbracis"
    "edicao_nome" => "Anais II CONBRACIS"
    "edicao_evento" => "II Congresso Brasileiro de Ciências da Saúde"
    "edicao_ano" => 2017
    "edicao_pasta" => "anais/conbracis/2017"
    "edicao_logo" => "5e4a0123e6440_16022020235739.jpg"
    "edicao_capa" => "5f1844ec532ad_22072020105348.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2017-06-14 00:00:00"
    "publicacao_id" => 29
    "publicacao_nome" => "Anais Conbracis"
    "publicacao_codigo" => "2525-6696"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 29344
    "edicao_id" => 60
    "trabalho_id" => 131
    "inscrito_id" => 785
    "titulo" => "HETEROGENEIDADE DAS DOENÇAS REUMÁTICAS E DOENÇAS RARAS APRESENTADAS POR PACIENTES ATENDIDOS NUMA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE DE CAMPINA GRANDE - PB."
    "resumo" => "Atenção Primária é considerada a porta de entrada do Sistema Único de Saúde (SUS), tornando as Unidades Básicas de Saúde (UBS) o local onde indivíduos portadores de doenças e agravos crônicos não transmissíveis (DANT) e outros tipos de patologias são identificados, acolhidos e, em alguns casos, referenciados para serviços de maior complexidade. Dentre as DANT encontram-se as doenças reumáticas, já dentre o outro espectro de afecções que chegam às demandas do SUS tem-se as doenças raras. Assim, este trabalho tem por objetivo traçar o perfil dos pacientes portadores de doenças reumáticas e identificar e discorrer sucintamente as doenças raras abordadas numa UBS de Campina Grande-PB. Os dados para este trabalho foram obtidos da UBS Raimundo Carneiro em Campina Grande-PB, no Bairro do Pedregal. Foram extraídos de fichas existentes na Unidade, transferidos para tabelas do Microsoft Excel que continham, para os portadores de doenças reumáticas, as variáveis: idade, sexo, doença. Para Doença Rara, utilizou-se as mesmas tabelas, observando quais estavam presentes. No que tange as doenças reumáticas, foram identificados treze pacientes. Destes, doze do sexo feminino e um do sexo masculino. Verificou-se 1 paciente até 19 anos, cinco  pacientes na faixa de 30-39 anos, quatro de 40-49 anos, 1 de 50-59 anos, 1 de 70-79 anos e 1 de 80-89 anos. Quanto aos tipos de doença reumática, observou-se 4 tipos: Doença Reumática oriunda de Febre Reumática, Lupus Eritematoso Sistêmico (LES), Artrite Reumatóide (AR) e Osteoartrose. Destas, verificou-se 5 indivíduos com Doença Reumática oriunda de Febre Reumática, 4 com LES, 3 com AR e 1 com Osteoartrose. Com isso, notou-se a concordância com a literatura: as mulheres são o grupo mais afetado por essas doenças, especificamente na faixa que vai dos 30-40 anos, graças a relação dos sistemas imune e endócrino. Houve predomínio de LES e AR, o que coaduna com a literatura como sendo doenças mais comumente vistas. No caso da AR, atingindo predominantemente mulheres e pico de incidência de 30-50 anos. Para LES acomete também, predominante, mulheres e pico de incidência em idade reprodutiva a partir dos 20 anos. No que concerne ao aparecimento de doenças raras, foram detectados dois portadores assistidos pela Unidade: Sídrome de Wiskott-Aldrich (indivíduo do sexo masculino, 17 anos), Síndrome de Ehlers-Danlos (indivíduo do sexo feminino, 16 anos.  A primeira é tem incidência de 1- 10 em 1 milhão de indivíduos. A segunda tem acometimento de 1 em 5000 indivíduos. Ambas com manifestações clínicas distintas. Observa-se, assim, quão heterogênea é a variedade de doenças vistas numa UBS cotidianamente. De tal modo, que o conhecimento delas possibilita a descoberta da realidade local, uma vez que muitas delas ocorrem e progridem relacionadas a condições biossocioeconômicas locais. Da mesma forma, deve-se olhar para as síndromes raras encontradas, pois , necessitam de atendimento especializado e direcionado aos demais níveis de Atenção. Com isso, a presença da UBS na vida dos portadores dessas doenças, leva-os a informações e cuidados maiores acerca do problema, redundando em um aumento considerável na qualidade de vida, graças ao acesso aos meios de saúde."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO)"
    "area_tematica" => "AT-01: Medicina"
    "palavra_chave" => "DOENÇA REUMÁTICA, DOENÇA RARA, UBS"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV071_MD1_SA1_ID785_30042017195949.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:15"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:29:30"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "FELIPE OLIVEIRA BARBOSA"
    "autor_nome_curto" => "FELIPE OLIVEIRA"
    "autor_email" => "felipeoliveira321@gmail.c"
    "autor_ies" => "UFCG"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-ii-conbracis"
    "edicao_nome" => "Anais II CONBRACIS"
    "edicao_evento" => "II Congresso Brasileiro de Ciências da Saúde"
    "edicao_ano" => 2017
    "edicao_pasta" => "anais/conbracis/2017"
    "edicao_logo" => "5e4a0123e6440_16022020235739.jpg"
    "edicao_capa" => "5f1844ec532ad_22072020105348.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2017-06-14 00:00:00"
    "publicacao_id" => 29
    "publicacao_nome" => "Anais Conbracis"
    "publicacao_codigo" => "2525-6696"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 14 de junho de 2017

Resumo

Atenção Primária é considerada a porta de entrada do Sistema Único de Saúde (SUS), tornando as Unidades Básicas de Saúde (UBS) o local onde indivíduos portadores de doenças e agravos crônicos não transmissíveis (DANT) e outros tipos de patologias são identificados, acolhidos e, em alguns casos, referenciados para serviços de maior complexidade. Dentre as DANT encontram-se as doenças reumáticas, já dentre o outro espectro de afecções que chegam às demandas do SUS tem-se as doenças raras. Assim, este trabalho tem por objetivo traçar o perfil dos pacientes portadores de doenças reumáticas e identificar e discorrer sucintamente as doenças raras abordadas numa UBS de Campina Grande-PB. Os dados para este trabalho foram obtidos da UBS Raimundo Carneiro em Campina Grande-PB, no Bairro do Pedregal. Foram extraídos de fichas existentes na Unidade, transferidos para tabelas do Microsoft Excel que continham, para os portadores de doenças reumáticas, as variáveis: idade, sexo, doença. Para Doença Rara, utilizou-se as mesmas tabelas, observando quais estavam presentes. No que tange as doenças reumáticas, foram identificados treze pacientes. Destes, doze do sexo feminino e um do sexo masculino. Verificou-se 1 paciente até 19 anos, cinco pacientes na faixa de 30-39 anos, quatro de 40-49 anos, 1 de 50-59 anos, 1 de 70-79 anos e 1 de 80-89 anos. Quanto aos tipos de doença reumática, observou-se 4 tipos: Doença Reumática oriunda de Febre Reumática, Lupus Eritematoso Sistêmico (LES), Artrite Reumatóide (AR) e Osteoartrose. Destas, verificou-se 5 indivíduos com Doença Reumática oriunda de Febre Reumática, 4 com LES, 3 com AR e 1 com Osteoartrose. Com isso, notou-se a concordância com a literatura: as mulheres são o grupo mais afetado por essas doenças, especificamente na faixa que vai dos 30-40 anos, graças a relação dos sistemas imune e endócrino. Houve predomínio de LES e AR, o que coaduna com a literatura como sendo doenças mais comumente vistas. No caso da AR, atingindo predominantemente mulheres e pico de incidência de 30-50 anos. Para LES acomete também, predominante, mulheres e pico de incidência em idade reprodutiva a partir dos 20 anos. No que concerne ao aparecimento de doenças raras, foram detectados dois portadores assistidos pela Unidade: Sídrome de Wiskott-Aldrich (indivíduo do sexo masculino, 17 anos), Síndrome de Ehlers-Danlos (indivíduo do sexo feminino, 16 anos. A primeira é tem incidência de 1- 10 em 1 milhão de indivíduos. A segunda tem acometimento de 1 em 5000 indivíduos. Ambas com manifestações clínicas distintas. Observa-se, assim, quão heterogênea é a variedade de doenças vistas numa UBS cotidianamente. De tal modo, que o conhecimento delas possibilita a descoberta da realidade local, uma vez que muitas delas ocorrem e progridem relacionadas a condições biossocioeconômicas locais. Da mesma forma, deve-se olhar para as síndromes raras encontradas, pois , necessitam de atendimento especializado e direcionado aos demais níveis de Atenção. Com isso, a presença da UBS na vida dos portadores dessas doenças, leva-os a informações e cuidados maiores acerca do problema, redundando em um aumento considerável na qualidade de vida, graças ao acesso aos meios de saúde.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.