Artigo Anais VI CONGREFIP

ANAIS de Evento

ISSN: 2527-0060

Visualizações: 917
A ASSISTÊNCIA CLÍNICA DO PROFISSIONAL ENFERMEIRO A PACIENTES ACOMETIDOS POR MENINGITE: VIRAL BACTERIANA E FÚNGICA

Palavra-chaves: ASSISTÊNCIA, PACIENTE, PROFISSIONAL, MENINGES Pôster (PO) Enfermagem Assistencial

Resumo

INTRODUÇÃO: A meningite é uma patologia caracterizada pela inflamação das meninges. Pode ser apresentada de forma viral, fúngica ou bacteriana e atinge principalmente crianças entre 0 a 5 anos. Para cada tipo há sintomas e tratamento específico, é uma doença não contagiosa e tem vacina prevista no calendário de vacinação do SUS (Sistema Único de Saúde), em 2016 foram identificados 12.939 casos em crianças desde recém-nascidas até os nove anos de idade, significando aproximadamente 67,8% dos 18.705 casos confirmados naquele ano. A doença também apresenta alta incidência em adultos de 20 a 59 anos, sendo 32,6% dos casos no ano de 2016, ou seja, 6.092 casos confirmados no Brasil. A meningite é considerada uma doença endêmica no país, necessitando de preparo do profissional de saúde atuante em locais especializados no tratamento e diagnostico da mesma. É de suma importância o treinamento específico junto aos profissionais enfermeiros, para garantir uma assistência satisfatória ao cliente. OBJETIVO: Demonstrar a assistência do profissional enfermeiro frente ao paciente acometido pelas formas de meningite, desde o conhecimento da patologia até o seu diagnostico e tratamento, evidenciando suas principais condutas diante do atendimento e as praticas da equipe multiprofissional a fim de proporcionar um atendimento de qualidade ao cliente. METODOLOGIA: Trata-se de uma pesquisa exploratória, do tipo revisão bibliográfica. Para a realização da pesquisa foram analisados e selecionados artigos acadêmicos com conteúdos científicos relacionados à assistência do profissional enfermeiro a pacientes acometidos por meningite viral bacteriana e fúngica tendo como base a qualidade de informações fornecidas ao leitor. Para isso, foi usado um total de doze periódicos, disponíveis nas plataformas Scielo; e Google Acadêmico. Foi aplicado como critério de inclusão para análise: apenas texto em forma de artigo cientifico que estivessem disponíveis na íntegra e em Português. RESULTADOS E DISCUSSÃO: O enfermeiro inicialmente deve colocar o paciente em precaução respiratória em função da meningite, se faz necessário informar aos familiares a cerca do diagnostico e tratamento da patologia, no inicio o paciente apresenta uma febre moderada e rigidez na parte posterior do pescoço sugestivos da meningite, devem ser de conhecimento do enfermeiro, o paciente necessita de cuidados humanizados. Cabe ao profissional monitorar os sinais vitais continuamente, bem Como o estado neurológico do cliente. Além disso, observar sinais de irritação das meninges (rigidez da nuca, fotofobia, hiperalgesia). Pois são indicadores de cuidados especiais de enfermagem. CONCLUSÃO: Foi possível aprender com o presente estudo que A busca do conhecimento pelo profissional enfermeiro sobre técnicas assépticas uso dos Epi’s necessários e conhecimento da patologia é uma das ferramentas primordiais para assegurar a qualidade da assistência prestada, garantindo ao enfermeiro e à instituição o respaldo ético-legal por proporcionar um atendimento integral e humanizado, promovendo uma maior autonomia nas ações de enfermagem, além de promover um vínculo maior entre o enfermeiro e seu paciente.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.