Artigo Anais I CONIDIS

ANAIS de Evento

ISSN: 2526-186X

A COLETA, O DESCARTE DE LIXO E O LIXÃO: RELAÇÕES SOCIOAMBIENTAIS NO MUNICÍPIO DE CUITÉ, SEMIÁRIDO PARAIBANO

Palavra-chaves: RESÍDUOS SÓLIDOS, CATADORES, IMPACTOS AMBIENTAIS NO SEMIÁRIDO Comunicação Oral (CO) GT 02 - Riquezas naturais no semiárido: degradação e uso sustentável Publicado em 10 de novembro de 2016

Resumo

O presente trabalho tem por objetivo principal analisar a relação da sociedade com o sistema que cuida da coleta e do descarte do lixo na cidade de Cuité, semiárido paraibano. O sistema de coleta e descarte de lixo, nos municípios brasileiros, é fonte constante de debates e de projetos para melhorias. No Brasil, das 64 milhões de toneladas de resíduos gerados no ano de 2015, 24 milhões seguiram para destinos inadequados, sendo que outras 6,2 milhões de toneladas sequer foram coletadas. Este trabalho mostra a realidade do sistema no município de Cuité, que se localiza na microrregião do curimataú paraibano. O material visa analisar as consequências do descarte do lixo urbano em depósito a céu aberto para o município. O lixão se localiza à aproximadamente 1 Km do perímetro urbano da cidade, e uma estrada sem pavimentação dá acesso ao local. Nesta pesquisa foram analisados os diferentes pontos de vista acerca do problema pelo método de questionários aplicados junto à entrevistas com o responsável da prefeitura pela infraestrutura, também com a população em geral, com os catadores e por fim com os moradores do entorno do lixão. Outro procedimento metodológico utilizado foram as pesquisas bibliográficas buscando estudar trabalhos sobre o mesmo tema na cidade e até em outros locais com a mesma problemática, bem como pesquisas documentais sobre a história do lixão e do sistema de coleta do município para buscar, através do passado, entender os problemas atuais. Foi visto que os catadores, em sua maioria, estão trabalhando no lixão por falta de emprego na cidade e estes não tem qualquer qualificação acadêmica ou profissional, passam assim a tirar o sustento da reciclagem que é vendida para pequenas empresas por preços mínimos. Outro ponto que vale destacar é que muitos destes catadores, conformados com a situação e desacreditados de alguma mudança de vida ou de conseguir oportunidades melhores, constroem suas moradias no entorno do lixão, constatando-se um aumento considerável no número de famílias residindo neste local em relação aos anos anteriores à instalação do lixão e essa população continua crescendo pois percebem-se várias casas em construção. Pode-se concluir que o lixão é um problema ambiental que ao mesmo tempo é também fonte de subsistência de muitas famílias e que sua desinstalação, desacompanhada de um programa social para essas famílias, resultará em um aumento no desemprego. Essa população está estabelecida ali e qualquer programa de desativação do lixão vai trazer muitas consequências na vida desta. Outro ponto é o das famílias que já estavam no local e que tiveram suas terras desvalorizadas, além de diversos problemas de saúde trazidos pelo lixo, a fumaça da queima dos resíduos e o odor que pode ser constatado já na estrada que liga a o município ao lixão. Precisa-se de um programa um tanto complexo que possa sanar os problemas ambientais sem desamparar a sociedade, partindo de uma iniciativa pública em parceria com a população.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.