Artigo Anais XII CONAGES

ANAIS de Evento

ISSN: 2177-4781

VIOLÊNCIA CONTRA MINORIAS SEXUAIS: PERFIL DOS AGRAVOS NO INTERIOR DO CEARÁ

Palavra-chaves: HOMOSSEXUALIDADE, BISSEXUALIDADE, VIOLÊNCIA Pôster (PO) Direitos Humanos, Feminismo e Políticas Públicas de Gênero
"2016-06-08 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 18736
    "edicao_id" => 42
    "trabalho_id" => 187
    "inscrito_id" => 845
    "titulo" => "VIOLÊNCIA CONTRA MINORIAS SEXUAIS: PERFIL DOS AGRAVOS NO INTERIOR DO CEARÁ"
    "resumo" => "A violência é caracterizada como qualquer ato que desrespeita os direitos fundamentais do ser humano, sendo considerada como problema de saúde pública. A população de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros, face ao preconceito e discriminação social em virtude da orientação não heterossexual assumida, apresenta vulnerabilidade para sofrer violência, caracterizada como abuso emocional, físico e sexual e suas consequências. Esse estudo objetivou identificar o perfil de violências perpetradas contra minorias sexuais de uma região do interior do Nordeste Brasileiro. Tratou-se de um estudo transversal, quantitativo, realizado com 316 indivíduos de orientação sexual não heterossexual nos municípios de Juazeiro do Norte e Crato, no interior do Ceará, Brasil. Utilizou-se de entrevista estruturada para coleta de dados com indagações sobre violência sofrida. Os dados obtidos foram contabilizados e expostos em valores absolutos e relativos. O estudo obedeceu a princípios éticos, sendo aprovado por Comitê de Ética em Pesquisa. A maioria dos indivíduos participantes do estudo era do sexo masculino (n=223; 70,6%), identidade de gênero masculina (n=200; 63,3%), orientação sexual homossexual gay (n=162; 51,3%). Todos os participantes já haviam sofrido violência, com destaque para a psicológica (n=249, 78,8%). Para esta, prevaleceram os insultos proferidos por pessoas à distância (n=193, 61,1%). Frente à violência física sofrida teve destaque os empurrões (n=69, 21,8%) e perante violência sexual, o assédio (n=43, 13,6%). Conclui-se que minorias sexuais são vítimas da violência, e que a psicológica é mais prevalente. Esforços são necessários para combater esse agravo que muito tem contribuído para o aumento da morbimortalidade dessa população."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "Direitos Humanos, Feminismo e Políticas Públicas de Gênero"
    "palavra_chave" => "HOMOSSEXUALIDADE, BISSEXUALIDADE, VIOLÊNCIA"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV053_MD4_SA8_ID845_01052016195835.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:04"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:15:16"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "GRAYCE ALENCAR ALBUQUERQUE"
    "autor_nome_curto" => "GRAYCE"
    "autor_email" => "geycyenf.ga@gmail.com"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE REGIONAL DO CARIRI"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-xii-conages"
    "edicao_nome" => "Anais XII CONAGES"
    "edicao_evento" => "XII Colóquio Nacional Representações de Gênero e de Sexualidades"
    "edicao_ano" => 2016
    "edicao_pasta" => "anais/conages/2016"
    "edicao_logo" => "5e4d91ff53faf_19022020165231.png"
    "edicao_capa" => "5f1840b2f13c7_22072020103546.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2016-06-08 00:00:00"
    "publicacao_id" => 16
    "publicacao_nome" => "Revista CONAGES"
    "publicacao_codigo" => "2177-4781"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 18736
    "edicao_id" => 42
    "trabalho_id" => 187
    "inscrito_id" => 845
    "titulo" => "VIOLÊNCIA CONTRA MINORIAS SEXUAIS: PERFIL DOS AGRAVOS NO INTERIOR DO CEARÁ"
    "resumo" => "A violência é caracterizada como qualquer ato que desrespeita os direitos fundamentais do ser humano, sendo considerada como problema de saúde pública. A população de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros, face ao preconceito e discriminação social em virtude da orientação não heterossexual assumida, apresenta vulnerabilidade para sofrer violência, caracterizada como abuso emocional, físico e sexual e suas consequências. Esse estudo objetivou identificar o perfil de violências perpetradas contra minorias sexuais de uma região do interior do Nordeste Brasileiro. Tratou-se de um estudo transversal, quantitativo, realizado com 316 indivíduos de orientação sexual não heterossexual nos municípios de Juazeiro do Norte e Crato, no interior do Ceará, Brasil. Utilizou-se de entrevista estruturada para coleta de dados com indagações sobre violência sofrida. Os dados obtidos foram contabilizados e expostos em valores absolutos e relativos. O estudo obedeceu a princípios éticos, sendo aprovado por Comitê de Ética em Pesquisa. A maioria dos indivíduos participantes do estudo era do sexo masculino (n=223; 70,6%), identidade de gênero masculina (n=200; 63,3%), orientação sexual homossexual gay (n=162; 51,3%). Todos os participantes já haviam sofrido violência, com destaque para a psicológica (n=249, 78,8%). Para esta, prevaleceram os insultos proferidos por pessoas à distância (n=193, 61,1%). Frente à violência física sofrida teve destaque os empurrões (n=69, 21,8%) e perante violência sexual, o assédio (n=43, 13,6%). Conclui-se que minorias sexuais são vítimas da violência, e que a psicológica é mais prevalente. Esforços são necessários para combater esse agravo que muito tem contribuído para o aumento da morbimortalidade dessa população."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "Direitos Humanos, Feminismo e Políticas Públicas de Gênero"
    "palavra_chave" => "HOMOSSEXUALIDADE, BISSEXUALIDADE, VIOLÊNCIA"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV053_MD4_SA8_ID845_01052016195835.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:04"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:15:16"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "GRAYCE ALENCAR ALBUQUERQUE"
    "autor_nome_curto" => "GRAYCE"
    "autor_email" => "geycyenf.ga@gmail.com"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE REGIONAL DO CARIRI"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-xii-conages"
    "edicao_nome" => "Anais XII CONAGES"
    "edicao_evento" => "XII Colóquio Nacional Representações de Gênero e de Sexualidades"
    "edicao_ano" => 2016
    "edicao_pasta" => "anais/conages/2016"
    "edicao_logo" => "5e4d91ff53faf_19022020165231.png"
    "edicao_capa" => "5f1840b2f13c7_22072020103546.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2016-06-08 00:00:00"
    "publicacao_id" => 16
    "publicacao_nome" => "Revista CONAGES"
    "publicacao_codigo" => "2177-4781"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 08 de junho de 2016

Resumo

A violência é caracterizada como qualquer ato que desrespeita os direitos fundamentais do ser humano, sendo considerada como problema de saúde pública. A população de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros, face ao preconceito e discriminação social em virtude da orientação não heterossexual assumida, apresenta vulnerabilidade para sofrer violência, caracterizada como abuso emocional, físico e sexual e suas consequências. Esse estudo objetivou identificar o perfil de violências perpetradas contra minorias sexuais de uma região do interior do Nordeste Brasileiro. Tratou-se de um estudo transversal, quantitativo, realizado com 316 indivíduos de orientação sexual não heterossexual nos municípios de Juazeiro do Norte e Crato, no interior do Ceará, Brasil. Utilizou-se de entrevista estruturada para coleta de dados com indagações sobre violência sofrida. Os dados obtidos foram contabilizados e expostos em valores absolutos e relativos. O estudo obedeceu a princípios éticos, sendo aprovado por Comitê de Ética em Pesquisa. A maioria dos indivíduos participantes do estudo era do sexo masculino (n=223; 70,6%), identidade de gênero masculina (n=200; 63,3%), orientação sexual homossexual gay (n=162; 51,3%). Todos os participantes já haviam sofrido violência, com destaque para a psicológica (n=249, 78,8%). Para esta, prevaleceram os insultos proferidos por pessoas à distância (n=193, 61,1%). Frente à violência física sofrida teve destaque os empurrões (n=69, 21,8%) e perante violência sexual, o assédio (n=43, 13,6%). Conclui-se que minorias sexuais são vítimas da violência, e que a psicológica é mais prevalente. Esforços são necessários para combater esse agravo que muito tem contribuído para o aumento da morbimortalidade dessa população.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.