Artigo Anais IV CEDUCE

ANAIS de Evento

ISSN: 2447-035X

Visualizações: 208
POLÍTICAS PÚBLICAS DE ENFRENTAMENTO AO FRACASSO ESCOLAR NO ENSINO MÉDIO - SENTIDOS CONSTRUÍDOS, MUNDOS EDIFICADOS

Palavra-chaves: FRACASSO ESCOLAR, POLÍTICAS PÚBLICAS, ENSINO MÉDIO, CONSTRUCIONISMO SOCIAL, CONSTRUCIONISMO SOCIAL Pôster (PO) / Poster Submission Instituições, processos educativos e políticas públicas Publicado em 29 de junho de 2015

Resumo

As políticas públicas, sob a égide do Estado, materializam os projetos de desenvolvimento pensados para o país, consolidando-os no seio da sociedade. O modelo atual de desenvolvimento, baseado numa lógica capitalista, tem-se mostrado ineficaz sob vários aspectos, sobretudo por sua incapacidade de promover justiça e inclusão social. A lógica neoliberal produzida e reproduzida nas instituições, entre elas a escolar, seja por meio das políticas públicas, seja por já estar consolidada no discurso sociocultural, acaba por ditar as regras educacionais, as ideologias, as concepções de educação, impregnando de sentidos as ações no âmbito escolar. A escola vem cumprindo o papel de reproduzir a lógica capitalista desde sua criação, contribuindo para a manutenção de um sistema de classes que gera desigualdade social e deixa à margem uma grande parcela populacional. Essa exclusão produzida e reproduzida nas instituições escolares tem sido tema dos estudos sobre fracasso escolar que, desde a década de 1990, vêm denunciando a escola como produtora deste fenômeno. Apesar de várias políticas de enfrentamento ao fracasso escolar propostas pelo Estado, o problema permanece como algo de difícil solução, principalmente no ensino médio, etapa escolar fundamental para o acesso dos jovens ao trabalho e ao ensino superior. Nesta pesquisa, pretende-se trabalhar com a hipótese de que os discursos que as políticas educacionais veiculam, presentes também na cultura de forma hegemônica, e que irão ditar as regras e nortear as ações dos atores escolares, relacionam-se a um modelo de desenvolvimento neoliberal, o que dificulta o enfrentamento à questão do fracasso escolar, gerando cada vez mais exclusão. Dentro dessa lógica, o ensino médio tem importância crucial, visto que é a etapa final da educação básica, interligando os jovens ao mundo do trabalho. Porém, a realidade apresentada à maioria dos estudantes das escolas públicas brasileiras é uma adequação ao “mercado de trabalho”. A educação, assim como o trabalho, não podem ser reduzidos ao fator econômico, visto que são práticas sociais, atividades humanas que criam e recriam o próprio ser humano. Partindo desses pressupostos, este projeto de pesquisa pretende analisar alguns aspectos das políticas públicas atuais de enfrentamento ao fracasso escolar no ensino médio e a percepção dos atores com elas envolvidos, buscando compreender os sentidos atribuídos a essas políticas e suas implicações nas práticas educativas.O referencial teórico utilizado relaciona-se à Psicologia Escolar e Educacional Crítica, ao Construcionismo Social, à Educação, à Economia e à Sociologia, numa perspectiva interdisciplinar. Será realizada a análise das principais políticas públicas de enfrentamento ao fracasso escolar no ensino médio atuais, propostas pelo Governo Federal e as práticas discursivas dos professores, gestores, técnicos, alunos e familiares de uma escola pública de ensino médio, no sul de Minas Gerais.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.