Artigo Anais IV CEDUCE

ANAIS de Evento

ISSN: 2447-035X

A AFIRMAÇÃO IDENTITÁRIA NO PROCESSO EDUCATIVO DA COMUNIDADE QUILOMBOLA DE CARRAPATOS DA TABATINGA: O PAPEL DA ORALIDADE, DA MEMÓRIA E DA CONSCIÊNCIA POLÍTICA NA FORMAÇÃO DOS SUJEITOS

Palavra-chaves: EDUCAÇÃO QUILOMBOLA., ORALIDADE, MEMÓRIA, MOVIMENTOS SOCIAIS, MOVIMENTOS SOCIAIS Comunicação Oral (CO) / Oral Papers Submission Instituições, processos educativos e políticas públicas Publicado em 29 de junho de 2015

Resumo

Para além das questões diretamente ligadas à modalidade da Educação Escolar Quilombola, o olhar acerca dos processos educativos produzidos pelos remanescentes de quilombos, torna-se importante objeto reflexivo para se compreender a formação desses sujeitos que se autodenominam enquanto quilombolas e que reivindicam seus direitos enquanto sujeitos de direito, sendo estes, parte de um processo educativo específico. Tal formação apresenta-se como uma relação pautada pela subjetividade, sendo inúmeros modos de fazer parte constituinte daquilo que podemos definir como uma cultura tradicional desses grupos, sendo sua reprodução constituída em sua cotidianidade, nas relações interfamiliares entre as diferentes gerações. Sendo parte das reflexões que emergem da observação participante realizada junto à comunidade quilombola de Carrapatos da Tabatinga, como parte da pesquisa de mestrado que se encontra em construção, buscaremos apontar alguns elementos que se fazem presentes neste processo. Considerando que a educação quilombola tem seu início ainda na vida cotidiana da comunidade e na participação de seus sujeitos junto às mobilizações do movimento quilombola, nosso enfoque se dará na discussão acerca da relevância que tais aspectos tem na constituição do “ser quilombola”, enquanto sujeitos que apresentam uma consciência de grupo e que possuem estreito sentimento de pertencimento a um grupo de características e trajetória etnicamente diferenciados.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.