Artigo Anais XI CONAGES

ANAIS de Evento

ISSN: 2177-4781

Visualizações: 206
DISCRIMINAÇÃO DO TRABALHO FEMININO E AS DESIGUALDADES SOCIAIS ENTRE HOMENS E MULERES

Palavra-chaves: DISCRIMINAÇÃO, TRABALHO FEMININO, MULHERES Pôster (PO) / Poster Submission Gênero, Sexualidades e Modos de Subjetivação

Resumo

No decorrer da evolução das civilizações, por ser considerado um ícone de grande relevância no âmbito da passividade e da submissão, a mulher, socialmente falando, sempre representou uma classe de caráter exclusivamente intrínseco a reprodução da espécie, a manutenção do bem-estar dos membros da família e a exaustiva obrigação dos afazeres domésticos. Atualmente, as mulheres conquistaram alguns direitos, mas a sociedade ainda visualiza o trabalho laboral feminino apenas como uma complementação na renda familiar desde que essa prática não interfira nos afazeres domésticos, inclusive na educação dos filhos. Para tanto, esse contexto assume uma grande relevância como um problema social, e envolve a população em geral. Dessa forma, essa pesquisa tem como objetivo analisar a discriminação do trabalho feminino e as desigualdades sociais entre homens e mulheres, trazendo contribuições consideráveis para a apreensão desse contexto no âmbito acadêmico e no cotidiano social. A metodologia utilizada nesta pesquisa possui natureza aplicada, com forma de abordagem qualitativa e quantitativa, caracterizando-se como pesquisa exploratória e classificada quanto aos procedimentos técnicos como pesquisa descritiva. A amostra foi composta por 30 mulheres inseridas no grupo de mulheres do CRAS do município de Uiraúna – PB, através da utilização de questionário semi-estruturado, que visou apreender questões mais específicas, de acordo com os objetivos da pesquisa. Os dados foram agrupados e analisados qualitativamente através dos relatos das participantes da pesquisa por meio do método crítico dialético, sendo esta pesquisa realizada durante graduação acadêmica no período de estágio. Os resultados obtidos nessa pesquisa apontam que a discriminação e o preconceito estão presentes vigorosamente na sociedade quanto às questões do trabalho formal para mulheres. Nesse sentido, a prevalência da desigualdade social entre homens e mulheres, tanto no âmbito familiar quanto trabalhista, viola os direitos humanos e os direitos da mulher e demonstra a necessidade de reivindicação pela conscientização e concretização desses direitos de forma igualitária. Com isso, conclui-se que essa abordagem propõe um novo olhar para os espaços de luta pelo fim do preconceito, inclusive pelo fim da divisão de gênero e da discriminação quanto ao trabalho feminino ainda hoje inveterada na sociedade brasileira.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.