Artigo Anais XI CONAGES

ANAIS de Evento

ISSN: 2177-4781

Visualizações: 193
AS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS: A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE FEMINISTA NA SOCIEDADE BRASILEIRA.

Palavra-chaves: SEXUALIDADE, HISTORIOGRAFIA BRASILEIRA, REPENSADOS, IGUALDADE Comunicação Oral (CO) / Oral Papers Submission Direitos Humanos, Feminismo e Políticas Públicas de Gênero

Resumo

Resumo: Este presente trabalho vem com intuito de abordar a inclusão feminista na sociedade brasileira, partindo de suas relações de gênero, no qual, vivemos numa sociedade portadora de igualdades ligadas a democracia e os chamados direitos dos homens. Preguinada há milênios, que silencia-se por toda a História até os dias atuais, o gênero feminista e a relação de poder machista, sobrecarrega em um único legado, cuidar do lar. Apesar de que se diga da igualdade entre o homem e a mulher contemporânea, são varias visões que dizem o contrário, questões trabalhistas, as péssimas condições de trabalho, menores salários, além do mais a própria questão biológica, ter ou não ter filhos? Desta forma, partindo da análise: Sexualidade e Identidade da Historiografia Brasileira, de Margareth Rago (1997). História da sexualidade: A vontade de saber, de Michel Foucault (1988). A Construção imaginária da História e dos gêneros: O Brasil no século XVI, de Tania Navarro Swain (1996). As representações sociais e suas complexidades se caracterizam na identidade e na diversidade sexual. A busca pela igualdade dos sexos em todos os direitos: trabalho, violência, sexualidade e os estereótipos da mulher, apesar de hoje, repensados e recontados a identidade feminista, prevalece até mesmo dentro de suas próprias mentes, no entanto, carregada de visões diferentes, no qual, possam viver de sua maneira e não simplesmente da maneira do homem.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.