Resumo Trabalho

INSTRUMENTOS E TÉCNICAS DE ABORDAGEM FAMILIAR NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA: UM ESTUDO DE CASO

Autor(es): DIEGO MENDONÇA VIANA

O presente trabalho objetiva discutir os diversos e complexos fatores que envolvem o uso de instrumentos e técnicas de abordagem familiar na estratégia saúde da família, contextualizando tal uso com um estudo de caso. Para cumprir tal intento e contribuir para a gestão do cuidado, bem como a construção de processos de atenção à saúde nos serviços de saúde, bem como nas demais políticas públicas interestoriais, serão apresentados alguns instrumentos de abordagem familiar, tais como: genograma, ecomapa, Instrumento de Estratificação de Risco Familiar (Savassi e Coelho) e o PRACTICE (Problem, Roles, Affect, Communication, Time, Illness, Copying, Ecology). A metodologia utilizada foi de caráter qualitativo, por meio da estruturação de dados de observação de campo, levantamento de evidências nos estudos de referência e análise de intervenções realizadas em ambiente de trabalho do autor. A sistematização das experiências do autor também foi substrato metodológico importante, pois versam sobre algumas iniciativas de discussão e intervenção sobre as violências de gênero vivenciadas da prática profissional em questão. Além da conceituação dos elementos básicos para estruturação dos grupos de intervenção, algumas iniciativas foram sistematizadas para que possam ser adaptados para as realidades dos profissionais que se interessem em discutir e implementar ações de coerentes com as problemáticas encontradas. Os principais resultados evidenciam a dificuldade da Estratégia Saúde da Família (ESF), bem como das demais políticas públicas em lidar com a problemática, por diversas questões, dentre elas o uso precário destes instrumentos pelas equipes para orientar o trabalho. Concluiu-se que os que a abordagem familiar realizada com coerência por meio das ferramentas citadas de apoio às atividades das equipes da Estratégia de Saúde da Família são ações potentes nos territórios e permitem a construção de indicadores de saúde, ajudam na definição de prioridades, na organização do trabalho e na programação local diante da complexidade dos problemas das famílias.

Veja o artigo completo: PDF