Resumo Trabalho

A AMBIÊNCIA DA UTI NEONATAL E O EXCESSO DE MANUSEIO NO DESENVOLVIMENTO NEUROCOMPORTAMENTAL DO RECÉM-NASCIDO PREMATURO

Autor(es): FERNANDA JORGE MAGALHÃES e orientado por KARLA MARIA CARNEIRO ROLIM

A Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN) é considerada um ambiente repleto de equipamentos, com rica tecnologia, dinâmico e sobrecarregado de contínuos movimentos e intervenções, por uma equipe multiprofissional e pelos familiares do recém-nascido (RN) que são responsáveis e participantes do cuidar. O objetivo foi analisar a ambiência da UTIN com ênfase no excesso de manuseio no desenvolvimento neurocomportamental do RN prematuro. Estudo exploratório-descritivo, com abordagem qualitativa, realizado na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal da Maternidade-Escola, na cidade de Fortaleza-Ceará, Brasil, no período de janeiro a fevereiro de 2016. Os participantes foram enfermeiras e os recém-nascidos prematuros sob seus cuidados. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevista semi-estruturada. A análise dos dados foi por análise de conteúdo e respeitaram-se os aspectos éticos legais das pesquisas envolvendo seres humanos. Constatou-se que o ambiente da unidade neonatal é inóspito, barulhento, estressante, com iluminação não moderada e a equipe de saúde atuante nesta unidade proporciona excesso de manuseio ao neonato, fato que pode interferir no desenvolvimento neurocomportamental do RN, além de desenvolver alterações clínicas, como bradicardia, dispneia e deficiência nutricional, entre outras. Na UTIN, os recém-nascidos, foco principal do cuidado, constituí com os profissionais cuidadores uma relação intensa, no qual traz muitas exigências, requer extrema atenção, muitas vezes, inversamente proporcional ao espaço que ele ocupa na incubadora. Esta realidade da assistência ao RN denota a reflexão da enfermeira em abrir mão dos desejos e expectativas em relação ao resultado de suas funções. O processo de cuidar engloba ações, atitudes e comportamentos com base na intuição e conhecimento científico. Conclui-se que o avanço tecnológico na UTIN traz consigo, uma tecnologia capaz de garantir a sobrevida de recém-nascidos gravemente doentes, assim como proporciona o intervencionismo de múltiplos desafios enfrentados pela equipe de saúde, em especial, o uso prudente desta tecnologia.

Veja o artigo completo: PDF