Resumo Trabalho

O PERFIL DO EDUCADOR CORPORATIVO DA ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO FAZENDÁRIA NO CEARÁ

Autor(es): JOÃO BRAYAM RODRIGUES DE FREITAS

A pesquisa responde a um problema prático da Escola de Administração Fazendária – Esaf, especialmente de uma de suas unidades descentralizadas, no entendimento de fatores de desempenho atual e no delineamento do perfil de importante colaborador da Escola – caracterizando o conjunto de diretrizes, competências pedagógicas e características profissionais que definem o educador corporativo da Esaf no Ceará. Enquanto pesquisa aplicada, a investigação originou-se de uma ação articulada, no âmbito de um programa próprio de desenvolvimento profissional da unidade, que subsidiaria o planejamento de um curso de formação e aperfeiçoamento para os colaboradores em questão. Tendo por lócus a unidade descentralizada da Esaf no estado do Ceará a pesquisa estruturou-se em uma abordagem mista (quali-quantitativa), que combinou a pesquisa documental com o uso de um questionário para coleta de dados. Assim, são discutidas inicialmente a problemática decorrente do arranjo institucional da Esaf com relação às diretrizes e competências pedagógicas (in)definidas para atuação de seu educador corporativo, e a solução construída pela unidade do Ceará no desenvolvimento e avaliação deste colaborador. Seguidamente são apresentadas suas características profissionais, que revelam um educador corporativo com mais de dez anos de atuação em sala (39%), especialista (54%), com graduação em engenharia (23%), não licenciado (89%) e sem participar de curso/formação para o melhoramento de sua prática de ensino há mais de três anos (29%). Quanto às competências pedagógicas por ora definidas pela unidade do Ceará, o educador corporativo apresenta, de modo geral, padrões de desempenho docente satisfatórios, alcançando em média as diretrizes expectadas para o seu trabalho enquanto colaborador da Esaf. Por fim, são sublinhados os limites e as potencialidades do artigo, enquanto delineamento inédito no campo das escolas de governo.

Veja o artigo completo: PDF