Resumo Trabalho

PERFIS SOCIODEMOGRÁFICO E PROFISSIONAL DOS ENFERMEIROS DOS CENTROS DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL DE FORTALEZA-CE

Autor(es): ESSYO PEDRO MOREIRA DE LIMA e orientado por MICHELL ÂNGELO MARQUES ARAÚJO

O objetivo do presente trabalho foi traçar os perfis sociodemográfico e profissional dos enfermeiros de saúde mental atuantes nos Centros de Atenção Psicossocial no município de Fortaleza- CE. Trata-se de um estudo descritivo transversal com abordagem quan¬titativa. Este estudo teve como locais de pesquisa os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) do município de Fortaleza. Quanto ao gênero, predominaram enfermeiros do sexo feminino, com 78,8% da totalidade. No que tange ao grau de instrução, sete profissionais (21,2%) eram apenas graduados, 24 (72,7%) já haviam realizado especializações, um havia terminado a residência (3%) e um (3%) havia concluído curso de mestrado, o que demonstra elevado número de enfermeiros especialistas. Dentro desse grupo, 87,9% tinha apenas um vínculo relacionado à saúde mental e 12,1% possuíam dois trabalhos na saúde mental. A carga horária que predominou em nosso estudo foi de até 40 horas semanais, com 78,8% dos enfermeiros, outros 12,1% trabalhavam de 41 a 50 horas semanais, 3% trabalhavam de 51 a 60 horas semanais e (6%) trabalhavam acima de 60 horas semanais. O turno de trabalho prevalente em nosso estudo foi o diurno, com 72,7% dos entrevistados trabalhando nesse período, seguidos de 24,2% trabalhando em períodos diurnos e noturnos e apenas um enfermeiro (3%) trabalhando somente no período noturno. É importante que esta pesquisa seja realizada com enfermeiros de saúde mental no âmbito hospitalar, para que dessa forma seja possível comparar os perfis de ambos e traçar um perfil coletivo a todos os profissionais.

Veja o artigo completo: PDF