Resumo Trabalho

SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NA ATENÇÃO À SAÚDE DO IDOSO

Autor(es): FRANCISCA MICHAELI DE MOURA e orientado por PAULA SACHA FROTA NOGUEIRA

O envelhecimento é um processo que atinge todos os seres humanos, e, que se caracteriza por ser um processo dinâmico, progressivo e irreversível relacionado à fatores biopsicossociais. Este ocorre de maneira diferenciada de indivíduo para indivíduo, em que, essas variações dependem de fatores como estilo de vida, condições socioeconômicas e doenças crônicas. Nos últimos anos tem-se percebido um aumento da população acima de 60 anos em comparação à população geral. Projeções recentes apontam que, no ano de 2020, essa parcela poderá ser responsável por cerca de 14% (30,9 milhões de idosos) da população brasileira. Nesse contexto, a Enfermagem, com o intuito de prestar uma assistência de forma holística e humanizada, dispõe da Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE), um instrumento importante que organiza o trabalho profissional, proporcionando a implementação do Processo de Enfermagem. O presente estudo teve como objetivo relatar a experiência da elaboração de um plano de cuidados baseado na SAE para uma usuária de uma residência particular para idosos da cidade de Fortaleza/CE. Trata-se de um estudo descritivo do tipo relato de experiência. Estudo proposto através do campo de estágio da disciplina Enfermagem no Processo de Cuidar do Idoso, no curso de Enfermagem-UFC. Com coleta de dados a partir da entrevista, avaliação clínica e aplicação de instrumentos de avaliação da saúde do idoso. Usuária F.M.S, 77 anos, sexo feminino, viúva, procedente de Canabrava, Mauriti, residente em Fortaleza-CE. Diagnóstico de parkinsonismo e demência não esclarecida. Apresenta como comorbidade hipertensão arterial sistêmica. Encontrava-se alerta, desorientada, higienizada, corada, verbalizando e deambulando. Estado vacinal completo. Concilia sono e repouso. Eliminações vesicais e intestinais espontâneas, porém em uso de fralda. Teve como diagnósticos de enfermagem: risco de síndrome do idoso frágil, déficit no autocuidado e risco de quedas. Algumas das intervenções propostas foram: identificação dos problemas com estabelecimento de ordem de prioridade entre eles (imediatos, a médio e a longo prazo); identificar áreas em que o paciente precisa de auxílio para vestir-se; monitorar a capacidade do paciente para vestir, banhar e alimentar-se; prestar assistência direta nas atividades de autocuidado que a pessoa não consiga desenvolver; monitorar o modo de andar, o equilíbrio e o nível de fadiga com a deambulação; remover peças de mobiliário baixas que constituem motivo de tropeço; e, educar os familiares sobre fatores de risco que contribuam para quedas. O trabalho possibilitou um maior conhecimento acerca do processo de envelhecimento, saúde do idoso e de como o Enfermeiro pode atuar nessa área, prestando um cuidado integral para o cliente respeitando todas as suas dimensões. A SAE favorece a compreensão do contexto em que o idoso está inserido, além dos fatores que podem influenciar nesse processo de envelhecimento. Possibilitando, assim, a prestação de uma assistência integral de qualidade.

Veja o artigo completo: PDF