Resumo Trabalho

ENIGMA DA SALA: UM JOGO GRATUITO DE REALIDADE VIRTUAL PARA CRIANÇA

Autor(es): REINALDO FELIPE SOARES ARAUJO e orientado por WESLEY NUNES GONÇALVES

Este artigo apresenta a descrição de um jogo com caráter educacional gratuito de código aberto para crianças utilizando materiais acessíveis e dispositivos baratos, como o Google Cardboard que é feito de papelão. O jogo em Realidade virtual (RV) foi pensado de modo que possa contribuir para o desenvolvimento do processo e de atividades cognitivas, como o raciocínio, a percepção, a memória, a concentração, entre outras, além de propiciar a oportunidade de aproximar as crianças do fantástico mundo da Realidade Virtual, explorando uma sensação diferente de aprendizagem, com caráter lúdico e atrativo. Sendo o jogo de cunho educativo, pode ser utilizado na comunidade escolar, dando oportunidade para a inovação, a fim de contribuir com o ensino e aprendizagem, possibilitando vivências que talvez na vida real não sejam possíveis. O jogo foi desenvolvido nas plataformas Unreal Engine 4 e Blender em alta qualidade gráfica para uma maior imersão no jogo, e utilizando um controle remoto de baixo custo que se conecta com o celular através do bluetooth é possível passear pela sala e interagir com os objetos do cenário tornando o jogo mais dinâmico. O jogo é um clássico room escape, cujo objetivo principal é abrir a porta trancada, resolvendo o quebra-cabeça proposto. Todos os enigmas são matemáticos, cuja solução satisfaz as condições dadas para avançar no jogo, que por si só já impactam no incentivo de exercitar a concentração, tomadas de decisões, percepção, além de motivar as crianças que, quando erram, precisam tentar novamente, aprendendo a lidar com falhas, e por consequência, a controlar suas emoções, assim, todo passo a passo no jogo estimula alguma habilidade. O jogo é orientado para crianças do ensino fundamental I. Detalhes do jogo, aspectos técnicos, detalhes sobre o desenvolvimento e os acessórios utilizados estão descritos no decorrer deste artigo.

Veja o artigo completo: PDF