Resumo Trabalho

REGISTROS PRÉ-HISTÓRICOS, PATRIMÔNIO CULTURAL E EDUCAÇÃO AMBIENTAL: ESTUDO DAS PINTURAS RUPESTRES EM ALGODÃO DE JANDAÍRA – PB

Autor(es): JOELSON SOUZA ISIDRO DOS SANTOS e orientado por MÁRCIA GARDÊNIA LUSTOSA PIRES

Este estudo apresenta os resultados de uma pesquisa desenvolvida no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB), campus Campina Grande, que investiga os registros históricos de povos primitivos na região paraibana, a partir dos vestígios indígenas encontrados em rochas localizadas em várias serras do Estado. As evidências encontradas em várias serras e municípios do estado da Paraíba, consistem em um rico acervo de elevado valor cultural que muito nos revela da cultura de nossos ancestrais. As pinturas rupestres ali existentes comprovam a estada de comunidades antigas que ao passarem por nossa região deixaram marcas que ultrapassaram os séculos. No município de Algodão de Jandaíra, localizado a 210 km da capital João Pessoa, além de pinturas rupestres por toda extensão das serras que circundam o município, existem histórias e evidências dos índios que habitaram a região e sofreram com a chegada do homem branco, marcando a história da formação da comunidade há mais de um século. A cidade apresenta uma extensa variedade vestígios históricos de povos e culturas que habitaram a região através dos séculos, e que, infelizmente, é desconsiderado pela população local, que vê as evidências como algo banal, por falta de conhecimento. Dentre os locais estudados foram também identificadas várias pichações nos sítios arqueológicos do município, os quais podemos destacar a Pedra do Caboclo e a Pedra da Letra, como aquelas que apresentam maior número de depredações. É importante ressaltar que embora não haja uma consciência da necessidade de preservação, alguns habitantes descendentes diretos dos índios veem que as marcas deixadas são um traço que os ligam ao passado e a riqueza dos costumes das tribos da região. No entanto, verificamos que, apesar da existência desse tipo de pensamento que parece sinalizar para uma possível consciência da necessidade de preservação do patrimônio histórico, de forma contraditória, ocorre a crescente degradação de parte deste acervo, causando enorme preocupação quanto ao futuro deste legado para as gerações futuras.

Veja o artigo completo: PDF