Resumo Trabalho

OS IMPACTOS DAS VULNERABILIDADES SOCIOECONÔMICAS E DO ACÚMULO DE RESPONSABILIDADES NA SAÚDE EMOCIONAL DAS MULHERES CHEFES DE FAMÍLIA MORADORAS DA BARRA DO CEARÁ– FORTALEZA/CE

Autor(es): TAÍS INGRID PINHEIRO RODRIGUES e orientado por ADINARI MOREIRA DE SOUSA

Resumo do artigo: O presente estudo foi construído como complemento do projeto de pesquisa já concluído Famílias Matriarcais em Situação de Vulnerabilidade Social no Brasil, elaborado pela autora principal deste artigo para conclusão da disciplina Metodologia do Trabalho Científico, ministrada aos graduandos do primeiro semestre do curso de Serviço Social da Universidade Estadual do Ceará – UECE, no ano de 2015, que foi retomado e passou por modificações ao ser inserido no eixo de investigações das duas estudantes e de sua orientadora no Laboratório de Pesquisas e Estudos em Serviço Social – LAPESS, na mesma instituição acadêmica, em 2017. Assim, passou a ter como objetivo identificar as mais variadas situações de vulnerabilidade social e econômica enfrentadas pelas famílias matriarcais residentes no bairro Barra do Ceará – segundo bairro mais populoso da cidade de Fortaleza, capital do Ceará -, bem como destacar as múltiplas responsabilidades acumuladas pelas mulheres que as chefiam e entender quais os impactos dessa conjuntura para a saúde emocional das matriarcas. Para tanto, o procedimento metodológico utilizado abrangeu três etapas: a primeira consistiu na consulta à publicações bibliográficas que subsidiassem o referencial teórico, e a segunda que, por sua vez, caracterizou-se pela aplicação de dois questionários – um contendo 10 perguntas de cunho quantitativo, e outro com 7 indagações qualitativas – respondidos por uma amostra de 10 colaboradoras pertencentes a esse tipo de composição familiar (matriarcal), moradoras do bairro supracitado – processo classificado como pesquisa de campo. Além disso, realizou-se uma entrevista presencial e oral com essas mulheres em suas respectivas residências. Por meio das respostas às interrogações escritas, foi possível identificar o perfil socioeconômico do público-alvo, avaliar suas condições de vida (primeira sessão do questionário) e o nível de estresse a que as matriarcas estavam submetidas (segunda sessão do questionário). Já a parte do diálogo permitiu que estas, por meio da fala, explicitassem suas percepções acerca da realidade vivida. Para complementar o estudo, foram utilizadas informações da pesquisa anterior que possibilitaram fazer um resgate histórico acerca da formação das famílias matriarcais no Brasil a partir da compreensão de sua relevância dentro do processo de rompimento com a predominância do estereótipo patriarcal de composição familiar, considerando como problematização o fato destas enfrentarem situações de exclusão social como um resquício da ausência do homem na posição de liderança. Sendo anexadas, também, informações que caracterizaram o bairro em questão e o crescimento desse perfil familiar no local.

Veja o artigo completo: PDF