Resumo Trabalho

SISTEMA DE IRRIGAÇÃO POR MICROTUBOS UTILIZANDO ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA

Autor(es): ISABELLE NAYARA ALVES FAUSTINO DUARTE e orientado por KENNEDY FLÁVIO MEIRA DE LUCENA

A crescente necessidade de energia da sociedade tem impulsionado a buscar de fontes alternativas mais sustentáveis, particularmente nos países cujos recursos estão limitados. No Brasil a matriz energética está compreendida basicamente pela energia hidroelétrica e pelos combustíveis fósseis. Em virtude da escassez hídrica o país tem vivenciado problemas de fornecimento e investiu nos últimos anos em termoelétricas, que são poluidoras e tem um custo de geração elevado. Também, tem se presenciado a entrada mais efetiva da energia eólica na nossa matriz energética com a criação de parques eólicos. A energia solar fotovoltaica, no entanto, não tem evoluído no mesmo ritmo em função de fatores econômicos, mas principalmente de decisão política. A energia fotovoltaica tem um grande potencial no Brasil, onde a incidência solar é muito superior a de países europeus que grande aplicação dessa fonte. As experiências no país com energia fotovoltaica são ainda de pouca significância na matriz energética. O avanço tecnológico e questões de mercado tem tornado a energia solar fotovoltaica mais acessível e é cada vez maior a utilização desse recurso. Com base nessa nova realidade este estudo visa analisar a viabilidade de sistemas de bombeamento fotovoltaicos aplicado em sistemas de irrigação. Nesse sentido, foi adquirido e instalado um sistema no campus do IFPB em Campina Grande. A pesquisa está em andamento e já se pode chegar a algumas conclusões importantes, tais como: (1) o sistema de bombeamento solar fornece vazões e pressões suficientes para realização de irrigação pressurizada, como gotejamento e microaspersão; (2) não se conseguiu a máxima eficiência do sistema de bombeamento em função da presença constante de nuvens na localidade; (3) o custo de implantação do sistema de irrigação com bombeamento solar e microtubos perfurados é viável hidraulicamente e tem custo acessível dado a sua vida útil.

Veja o artigo completo: PDF