Resumo Trabalho

ENSINAR E APRENDER SOBRE CIÊNCIAS: REFLEXÕES A PARTIR DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO ENSINO FUNDAMENTAL

Autor(es): FRANCISCO ALVES SANTOS e orientado por ISABEL CRISTINA HIGINO SANTANA

O estágio supervisionado enquanto espaço de formação de professores representa um ambiente fecundo à reflexão e discussão dos saberes e sentidos desenvolvidos no ambiente escolar pelo professor aprendiz. Visando contribuir com o entendimento deste tema, o referido trabalho discute, e faz reflexões, acerca do Estágio Supervisionado no processo de apropriação e construção dos saberes docentes necessários ao ensino de Ciências nas séries finais do ensino fundamental. Para tanto, a pesquisa de abordagem qualitativa, teve como fonte para coleta dos dados, a análise dos diários de campo reflexivos, instrumento construído durante a disciplina de Estágio Supervisionado no Ensino Fundamental – obrigatória no currículo do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas da FACEDI – em que se experienciou situações de observação, planejamento e regências de aulas com turmas de 9º ano. A partir de tais experiências, foi possível compreender as vivências disponibilizadas no universo da escola, e a partir delas pensar sobre o antagonismo de sentimentos, protagonizado no exercício das primeiras experiências docentes; perceber a necessidade de aplicação de recursos e estratégias metodológicas, que favoreçam a mediação e a apreensão dos conteúdos trabalhados; e ainda, a importância do planejamento pedagógico, processo didático de relevância, pois norteia o trabalho docente no alcance dos objetivos pretendidos. O enfrentamento desses momentos contribui para a constituição de um professor reflexivo, com isso, proporcionando um aprimoramento de sua atuação pedagógica e reverberando na construção de uma identidade docente articulada as experiências que o ambiente fornece. Dessa forma, tais observações nos levaram a conceber o Estágio Supervisionado, como espaço de interação e construção de conhecimentos teórico-práticos por oportunizar vivências e ajudar a compreendê-las a luz da teoria, neste movimento de construção de saberes, que as concepções e perspectivas de atuação são (re)construídas em um processo de apropriação destes espaços e afazeres.

Veja o artigo completo: PDF