Resumo Trabalho

CONCEPÇÕES DE LICENCIANDOS DE PEDAGOGIA ACERCA DA EDUCAÇÃO PARA A MORTE NAS SÉRIES INICIAIS

Autor(es): MARIA GLAUCILENE SOUSA VASCONCELOS e orientado por MÁRIO CÉZAR AMORIM DE OLIVEIRA

A morte é a última etapa que constitui o ciclo de vida de um ser vivo, é uma realidade concreta na existência humana e uma das poucas certezas que se tem na vida. Todavia, ao longo dos anos, a morte deixou de ser um fenômeno natural para se tornar um dos grandes tabus nos mais variados meios sociais, dentre eles, a escola, espaço em que os alunos deveriam receber formação para lidar também com temas controversos. Esta pesquisa objetivou investigar as concepções dos estudantes do curso de Pedagogia da FACEDI/UECE sobre a importância da discussão do tema Morte nas Séries Iniciais. A pesquisa é de cunho exploratório com abordagem qualitativa, foi realizada com estudantes do curso de pedagogia da Faculdade de Educação de Itapipoca (FACEDI-UECE) e teve como instrumento de coleta de dados o questionário, os dados obtidos foram analisados através da metodologia de Análise de Conteúdo. Os participantes da pesquisa responderam seis questões das quais emergiram categorias referentes às suas concepções acerca da abordagem da morte nas séries iniciais. Quanto à definição de morte, todas eram baseadas em fundamentos científicos, religiosos e psicológicos. Foi possível perceber que o aspecto interdito da morte está presente em suas concepções em relação à abordagem do tema durante a formação no meio acadêmico, apesar destes considerarem importante discutir acerca da morte com crianças das séries iniciais. Muitos deles também não se consideram preparados para lidar com esse assunto no ambiente escolar, os que se mostraram confortáveis com essa discussão, se fundamenta na religião, experiências pessoais e na Ciência. Desse modo, a Pedagogia como ciência da educação e o pedagogo como primeiro profissional da educação com o qual a criança tem contato ao se iniciar no meio escolar devem contemplar a formação desses indivíduos para lidar com situações difíceis. A educação para a morte é necessária desde as séries iniciais, para isso, deve ocorrer também na formação dos profissionais que atuarão nessa fase escolar tão importante e assim, a morte e o morrer passem a ser tratados com naturalidade.

Veja o artigo completo: PDF