Resumo Trabalho

ESTIMATIVA DA PEGADA ECOLÓGICA DO IFCE - JAGUARIBE

Autor(es): LARISSE CADEIRA BRANDÃO e orientado por ILEANE OLIVEIRA BARROS

O indicador Pegada Ecológica representa a quantidade de hectares suficiente para sustentar a vida de cada indivíduo no mundo, isto é, indica quantos hectares de área verde seriam necessárias para absorver o CO2 emitido pelas atividades realizadas a fim de suprir o consumo de uma pessoa no período de um ano. Assim, na busca pelo desenvolvimento sustentável é fundamental que a sociedade se empenhe ao máximo para equilibrar o desperdício dos recursos naturais e reduza a poluição decorrente dos processos produtivos, uso e descarte dos objetos, bem como do consumo de energia. Nesse contexto, o presente estudo objetivou avaliar os impactos ambientais gerados pelo consumo de papel, água e energia elétrica, através do cálculo da pegada ecológica, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE), Campus Jaguaribe e sugerir o indicador pegada ecológica como referência para o planejamento estratégico ambiental, da instituição. O consumo de água, energia elétrica e papel da instituição foi avaliado a partir dos dados médios anuais presentes nas faturas de água e de energia e da quantidade média de papel utilizado em um ano. A partir desses parâmetros, foram realizados os cálculos da massa de gás carbônico (CO2) liberado e do valor da área verde (em hectares) necessária para a absorção do gás emitido. Considerando os valores de consumo de água, energia e papel, foi percebido que o instituto emite uma quantidade média de 130,381 toneladas de CO2 por ano. Para compensar tal emissão seria necessário plantar 20,79 hectares de área verde anualmente a fim de absorver o CO2 emitido. Por fim, concluiu-se que o indicador pegada ecológica permitiu traduzir o consumo de tais recursos pelo IFCE Jaguaribe em emissão de CO2 e, assim, em área verde plantada necessária para a absorção deste gás. O que, por sua vez, possibilita a comparação com o consumo em outras instituições e com padrões nacionais e globais, garantindo dessa maneira que se reconheça e, possivelmente, modifique, os hábitos que contribuem para o desperdício e maior impacto ambiental. Paravas chaves: Emissão de CO2, consumo, indicador ambiental.

Veja o artigo completo: PDF