Resumo Trabalho

A MEDIAÇÃO DE CONFLITOS ESCOLARES E O FORTALECIMENTO DA CULTURA DE PAZ NUMA ESCOLA NA CIDADE DE REDENÇÃO-CE

Autor(es): ANNE LARISSE PEREIRA RODRIGUES e orientado por SINARA MOTA NEVES DE ALMEIDA

A escola é um ambiente onde se consolidam as interações sociais entre crianças, adolescentes e jovens. Contudo, tem sido um local de situações de conflitos e violências. Variados estudos e pesquisas têm sido realizados com o objetivo de entender a origem deste problema com o intuito de propor programas que resolvam ou minimizem a violência escolar. O presente trabalho analisa as contribuições do Projeto de Pesquisa Mediação de Conflitos na escola desenvolvido pela Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira numa escola pública municipal da cidade de Redenção-Ce. Considerando a formação de 40h/a desenvolvida na escola e a inauguração da sala de mediação de conflitos escolares interessa saber: quais as principais mudanças na instituição escolar com relação à redução da indisciplina e violência e do desenvolvimento da cultura de paz na escola a partir da formação em mediação de conflitos? Este estudo é do tipo colaborativo, visto que a comunidade investigada se constitui como co-autora do processo de investigação. A pesquisa colaborativa é uma prática alternativa de indagar a realidade educativa produzindo saberes, compartilhando estratégias, analisando problemas e implementando projetos comuns. Os resultados apontaram a formação em mediação de conflitos ofereceu aos participantes a vivência de certos conceitos e visão de mundo. Pode ser que o modo antigo de agir ainda persista um pouco, mas a consciência sobre o caminho mais construtivo da solução deve permanecer a partir da semente da sala de mediação implantada na escola. Concluímos, portanto, que escola deve cumprir com seu papel na sociedade, não só de transmissora de conhecimentos, mas realizando um trabalho em conjunto, oportunizando que a comunidade fale, reflita e pense soluções, e, sobretudo, aprendendo a ouvir os estudantes e considerando suas realidades sociais e culturais.

Veja o artigo completo: PDF