Resumo Trabalho

VITAMINA D E SÍNDROME DOS OVÁRIOS POLICÍSTICOS: REVISÃO INTEGRATIVA

Autor(es): CAROLINY GONÇALVES RODRIGUES MEIRELES e orientado por IONE MARIA RIBEIRO SOARES LOPES

A síndrome dos ovários policísticos (SOP) é a mais comum desordem endócrina que acomete mulheres em idade reprodutiva, a qual provoca uma síndrome metabólica caracterizada pela resistência à insulina, hiperinsulinemia e dislipidemia. A deficiência de vitamina D e a sua relação com a SOP é um assunto que ainda não é consenso na literatura. Portanto, objetivou-se compreender a relação da síndrome dos ovários policísticos e a deficiência de vitamina D e como está se estabelece. Este estudo trata-se de uma revisão integrativa, visto que se tem como objetivo realizar a síntese de um determinado assunto, a partir do levantamento de vários estudos relacionados. Na primeira etapa da revisão, foram elaboradas as seguintes questões norteadoras: “Mulheres diagnosticadas com a Síndrome dos Ovários Policísticos apresentam deficiência de vitamina D quando comparadas às mulheres sem este diagnóstico? Como se estabelece a relação de causalidade da SOP e a deficiência de vitamina D?” Realizada nas bases de dados PubMed, SCOPUS, Lilacs e CINAHL de agosto de 2016 a janeiro de 2017. A amostra inicial foi de 744 artigos, sendo 77 identificados na base Pubmed, 23 na CINAHL, 644 na Scopus e nenhum na Lilacs. Em seguida, aplicaram-se os critérios estabelecidos para a inclusão dos artigos com a finalidade de refinar a busca: artigos originais nos idiomas inglês, português ou espanhol e que respondessem às perguntas norteadoras do estudo, com uma amostra final de 7 artigos analisados na íntegra. Nos resultados as evidências foram apresentadas de acordo com as pesquisas realizadas e as conclusões por eles identificadas. Conclui-se que ainda não pode se afirmar que a deficiência de vitamina D contribui para a patogênese da SOP, como também que a síndrome ocasiona a deficiência de vitamina D, pois os estudos são controversos e há a necessidade de pesquisas com níveis de evidência maior para esclarecer estas lacunas.

Veja o artigo completo: PDF