Resumo Trabalho

ESTUDO E VISUALIZAÇÃO DA FAIXA DE FREQUÊNCIAS DAS ONDAS GRAVITACIONAIS NO TUBO DE RUBENS

Autor(es): DAVID UBALDO MESQUITA LONDRES e orientado por ALLYSSON MACÁRIO DE ARAÚJO CALDAS

Durante a Primeira Guerra Mundial, Albert Einstein apresentou à Academia Prussiana de Ciências, em Berlim, a Teoria da Relatividade. Em um dos seus postulados, a Teoria da Relatividade trata a gravidade como uma curvatura no tecido do espaço-tempo, onde constitui todo o Universo. Quando ocorrem eventos energéticos e catastróficos no cosmos, evidenciam-se deformações ondulatórias transmitidas no espaço-tempo, chamadas de ondas gravitacionais. No dia 15 de setembro de 2015, a LIGO (Observatório de Ondas Gravitacionais por Interferômetro Laser), detectou, pela primeira vez, ondas gravitacionais em uma sofisticada estrutura experimental que custou US$ 365 milhões. A presente pesquisa traz como objetivo principal reclassificar a teoria de ondas quanto à sua natureza, sua forma e quanto a direção de propagação, evidenciando a descoberta da teoria das ondas gravitacionais na qual representam uma nova ferramenta de observação dos acontecimentos do Universo. Um Tubo de Rubens foi construído a fim de reproduzir o perfil dessas ondas por meio de suas frequências. Portanto, diante dessa perspectiva, o leitor poderá ampliar seus conhecimentos ao realizar um estudo mais aprofundado e completo da Física Moderna. Além disso, será capaz de solidificar sua bagagem teórica e desenvolver técnicas mecânicas para a elaboração de bancadas experimentais ligadas à Física Clássica.

Veja o artigo completo: PDF