Resumo Trabalho

CONTRIBUIÇÃO DA EDUCAÇÃO NÃO-FORMAL EM INSTITUIÇÃO DE ACOLHIMENTO PARA IDOSOS

Autor(es): MIRELA LIMA DE ABREU e orientado por MARIA LUZIA DA SILVA SANTANA

O processo de envelhecimento é visto como um processo delicado, por ocorrer o declínio de funções básicas, como o andar, a fala e o processo de memorização. O pedagogo mediante as ações educativas poderá contribuir com o processo de envelhecimento saudável em instituições de acolhimento para idosos. Nesse viés, o presente artigo tem o objetivo de problematizar a contribuição da educação não-formal em instituição de acolhimento para idosos. Para isso, foi realizada leitura de textos que dialogam sobre o idoso em instituição de acolhimento, mediante o levantamento bibliográfico sobre a atuação do pedagogo voltada para os processos educativos com pessoas nessa fase de desenvolvimento. Além disso, utilizou-se das informações coletadas durante uma visita técnica na instituição de acolhimento para idoso, localizada no Estado de Mato Grosso do Sul, que incluiu uma entrevista com a psicóloga e administradora da instituição. Considera-se que a ação pedagógica poderá estimular o desenvolvimento cognitivo e psicossocial, incluindo atividades que estimulem a memória, atenção, as interações sociais e afetivas, a constituição de vínculos e apego. Uma das possibilidades pedagógicas e de práticas educativas é o desenvolvimento de contações de histórias, tendo como protagonistas os próprios idosos, podendo assim ser um espaço para relembrem situações que aconteceram em suas vidas. A metodologia da ação educativa deve ser marcada pelo diálogo com os profissionais que atuam e acompanham diariamente os idosos, podendo eles sinalizarem temas que podem ser motivadores para contações de histórias. Outras atividades possíveis são a realização de jogos voltados para estimulação da memória, uso de paisagens e locais que eles queiram conhecer serão elementos que poderão proporcionar interações sociais. Também, as atividades voltadas as artes, como a construção de desenhos livres favorecem a criatividade, articulando pintura com músicas diferentes para que eles se inspirem na construção de suas obras. Um olhar humanizador, a valorização e respeito do idoso deve ser elementos para práticas pedagógicas, tendo em vista que essa fase da vida incluem processos de desenvolvimentos.

Veja o artigo completo: PDF