Resumo Trabalho

“VIVA O LUXO E MORRA O BUCHO”: PERCEPÇÃO DO CONSUMIDOR UNDERGROUND NO SETOR VESTUÁRIO/ACESSÓRIO EM SOBRAL.

Autor(es): ROVÂNGELA DOMINGOS NEVES e orientado por HERÁCLIO ANTÔNIO BASTOS DA SILVA

Luxo, Consumidor underground, status, fatores sociais e culturais, prazer e bem estar são algumas das palavras mais apresentadas no contexto do consumo de bens e serviços de luxo. No meio do luxo, a cultura de consumo se apresenta entre ricos e pobres, entre canais oficiais e não oficiais de vendas. Na febre por obter o objeto do desejo, se sabe que, em geral, os consumidores com menos poder aquisitivo, muitas vezes se sacrificam, acima de sua realidade. Nesta percepção de universo, a pesquisa analisou entre consumidores undergrounds um comportamento de compra em um recorte do imaginário popular como metáfora. A pesquisa teve como objetivo identificar o que leva os consumidores de produtos de luxo, não “oficializados”, a irem além de suas condições de posses ou se compram por necessidade. Este trabalho utilizou a pesquisa do tipo quali-quanti, e adotou como técnica de obtenção de dados uma entrevista junto a um grupo focal e a aplicação de um questionário quantitativo aplicado junto a alunos do curso de administração da Universidade Estadual Vale do Acaraú - UVA. Nos resultados e discussões, percebeu-se que o consumidor underground costuma fazer uso de produtos imitados e copiados por acreditar que haja um valor agregado que compensa seu “sacrifício”, desde o preço abaixo do mercado, a sensação e o bem estar em poder consumir um produto de luxo “genuinamente falso”, aliado à criação de valor da marca de luxo para si podem gerar motivação de compra. Viu-se que a questão do capital social e econômico da marca, no que se refere à qualidade, tradição, bom gosto e sofisticação também podem influenciar na compra.

Veja o artigo completo: PDF