Resumo Trabalho

ANÁLISE DO ENDIVIDAMENTO DAS EMPRESAS DO SETOR DE MATERIAIS BÁSICOS DA BM&FBOVESPA

Autor(es): STÊNIO SÁVIO PORTÁCIO DA SILVA

A gestão financeira é um dos principais problemas nas empresas. Sendo assim, é de fundamental importância a aplicação de ferramentas e métodos para o acompanhamento da situação do endividamento das entidades. Dessa forma, este estudo objetivou analisar a situação dos índices de endividamento das empresas listadas no setor de Materiais Básicos da BM&FBovespa. Partindo-se do pressuposto de que os indicadores de endividamento demonstram a quantidade de recursos de terceiros e de recursos próprios utilizados no financiamento dos ativos totais da entidade (ASSAF NETO;LIMA, 2014). A pesquisa é, metodologicamente, qualitativa, exploratório-descritiva; com dados coletados nos demonstrativos financeiros. Assim, nesta pesquisa estuda-se a situação dos índices de endividamentos de empresas do setor de Materiais Básicos visando fornecer informações sobre a situação econômico-financeira. A amostra foi de 30 empresas. Por sua vez, os achados da pesquisa indicaram que todos os segmentos possuem no mínimo 49% de suas fontes de recursos provenientes de capitais de terceiros. Constatou-se que o segmento de Madeira é o único que possui recursos próprios suficientes para ‘garantir’ os recursos de terceiros. Verificou-se que quatro segmentos possuem alta composição de curto prazo. Quando da análise da Composição do endividamento, verifica-se que quatro dos doze segmentos possuem alta composição de curto prazo (Embalagem, Minerais não metálicos, Fertilizantes e, Cobre); no caso do ramo de Minerais não metálicos, verifica-se que todo seu passivo vai vencer no curto prazo. Dos segmentos analisados, dez deles imobilizaram o capital próprio. Em relação a imobilização de recursos não correntes, foi constatado que 3 ramos estão usando recursos de curto prazo para financiar seu permanente.

Veja o artigo completo: PDF