Resumo Trabalho

MANUSEIO DO SIMDA NA ESPACIALIAÇÃO DOS CASOS CONFIRMADOS DE LEPTOSPIROSE EM FORTALEZA-CE NOS ANOS DE 2017 E 2018

Autor(es): FRANCISCO EVERSON DA SILVA COSTA, LARISSA ALVES RABÊLO, KAUANE MATIAS LEITE, DAISYANNE AUGUSTO DE SALES SANTOS e orientado por MARIA VERA LÚCIA MOREIRA LEITÃO CARDOSO

A LEPTOSPIROSE É UMA DOENÇA INFECCIOSA, POTENCIALMENTE GRAVE, ORIUNDA DE ANIMAIS, PODENDO SER TRANSMITIDA AOS HUMANOS COM MAIOR FREQUÊNCIA NAS REGIÕES TROPICAIS E SUBTROPICAIS DO MUNDO, ONDE AS CONDIÇÕES AMBIENTAIS E CLIMÁTICAS PROPICIAM SUA MANUTENÇÃO E TRANSMISSÃO. O OBJETIVO DESSA PESQUISA FOI ANALISAR A OCORRÊNCIA DE LEPTOSPIROSE NA CIDADE DE FORTALEZA-CE ENTRE NOS ANOS DE 2017 E 2018, UTILIZANDO O SISTEMA DE MONITORAMENTO DIÁRIO DE AGRAVOS (SIMDA) COMO FERRAMENTA PARA CARACTERIZAR E ESPACIALIZAR OS CASOS CONFIRMADOS. TRATA-SE DE UM ESTUDO DESCRITIVO, REALIZADO EM JULHO DE 2019 POR ACADÊMICOS DE ENFERMAGEM E PROFISSIONAIS FILIADOS A UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ. O SIMDA POSSIBILITA O ACESSO VIA WEB DOS EVENTOS DE SAÚDE DE IMPORTÂNCIA MUNICIPAL, DENTRE ELES A LEPTOSPIROSE, OBJETO DE PESQUISA DO ESTUDO. AS VARIÁVEIS ESTUDADAS INCLUÍRAM: CRITÉRIO DE CONFIRMAÇÃO PARA O DIAGNÓSTICO, NÚMERO DE ÓBITOS, ESTABELECIMENTOS DE CONFIRMAÇÃO, REGIONAIS DE SAÚDE, BAIRROS ACOMETIDOS, FAIXA ETÁRIA, MESES DO ANO MAIS AFETADOS, NÚMERO DE CASOS NOTIFICADOS, CONFIRMADOS E DESCARTADOS. EM 2018, OBSERVOU-SE UM AUMENTO DE CASOS NOTIFICADOS E CONFIRMADOS PARA LEPTOSPIROSE, AO SER COMPARADO COM O ANO DE 2017. O AGRAVO APRESENTA LIGAÇÃO DIRETA COM AS CONDIÇÕES CLIMÁTICAS, CARACTERÍSTICAS URBANAS E SOCIOAMBIENTAIS DA CIDADE. CONCLUI-SE QUE A LEPTOSPIROSE PODE VIR A SER UM GRAVE PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA EM FORTALEZA, SENDO ESSENCIAL UMA FERRAMENTA COMO O SIMDA PARA QUE OS SERVIÇOS DE VIGILÂNCIA POSSAM CONTROLAR OS CASOS E LOCALIZAR AS ÁREAS DE PREDOMINÂNCIA DA DOENÇA, VISANDO INICIAR DE FORMA IMEDIATA A BUSCA ATIVA DE CASOS NAS ÁREAS INFESTADAS.

Veja o artigo completo: PDF