Resumo Trabalho

RESPOSTA ESPECTRAL DE DIFERENTES CLASSES DE SOLOS DO SEMIÁRIDO CORRELACIONADO AO TEOR DE MATÉRIA ORGÂNICA

Autor(es): VALÉRIA RAMOS LOURENÇO e orientado por CARLOS ALEXANDRE GOMES COSTA

A necessidade do emprego de técnicas de que propiciem a obtenção de resultados rápidos, e preferencialmente de baixo custo, tem crescido no atual fluxo de dados da sociedade. Neste sentido, a identificação de características do solo através da espectrorradiometria e utilizando dados de sensores orbitais tem se tornado uma realidade. Objetivou-se com o presente trabalho correlacionar a resposta espectral de diferentes solos do semiárido quanto aos seus teores de matéria orgânica utilizando sensores locais e orbitais, além de verificar a correlação entre esses sensores em relação às suas respostas para os solos. O estudo foi realizado na Bacia Experimental de Aiuaba (BEA) localizada no município de Aiuaba-CE na microrregião dos Inhamuns, é atualmente a maior reserva Federal do bioma Caatinga, a área atual da bacia é de 12,6 Km², dividida em três sistemas de Associação Solo Vegetação (ASV). Foram coletadas 12 amostras para a determinação da matéria orgânica (MO) do solo, quatro pontos em cada ASV na profundidade de 0-0,1 m do solo. O carbono orgânico total (COT) foi quantificado pela metodologia de Walkley-Blac modificado por Yeomans e Bremne, e a matéria orgânica no solo nas amostras obtida por meio da multiplicação do valor do Carbono Orgânico pelo fator de 1,724. Foram utilizadas imagens do satélite TM-LandSat 8 orbita/ponto 217/65 na qual realizou-se a conversão do número digital (ND) em dados de reflectância para que se obtivesse este dado para cada um dos pixels que representam os pontos de coleta. Para a obtenção dos dados de reflectância laboratoriais utilizou-se o sensor FielSpec 3. Obteve-se uma alta correlação negativa entre a resposta espectral dos solos estudados com seu teor de matéria orgânica utilizando o sensor orbital TM Landsat 8, além de uma correlação significativa entre os sensores orbitais e locais e sua resposta para os solos do semiárido.

Veja o artigo completo: PDF