Resumo Trabalho

AVALIAÇÃO DE SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS NO ENSINO DE ECOLOGIA: O CASO DE AULAS TEÓRICAS E DE CAMPO.

Autor(es): MARIA JACKELINE VIANA ALVES e orientado por ANDRÉA PEREIRA SILVEIRA

Ensinar e aprender em Biologia impõem pensar sobre a vida em suas diferentes vertentes e interações. Neste sentido, o estudo da Ecologia como uma das áreas que compõem as Ciências Biológicas, deve ser pensado também sobre perspectivas múltiplas. Com isso, buscamos avaliar a percepção de professores de Biologia em formação inicial acerca da inversão na ordem de atividades didáticas teóricas e de campo no desenvolvimento do conteúdo de Ecologia. A pesquisa é de cunho qualitativo, e foi utilizado como instrumento de coleta de dados, um questionário, destinado a dois grupos de alunos, onde o grupo 1 (que teve aula teórica antes da aula prática de campo) foi constituído por discentes da disciplina de Métodos em Ecologia Vegetal e o grupo 2 (que teve aula prática de campo antes da aula teórica) foi composto por alunos da disciplina de Ecologia Regional. A análise dos dados foi realizada através do software IRAMUTEQ junto com a análise de conteúdo de Bardin. Os participantes do grupo 1, foram unanimes quanto a preferência da sequência de trabalho teoria antes da prática, possivelmente devido a ausência de experiências com a inversão desta ordem. No grupo 2, cerca de 75% dos alunos que tiveram aula prática de campo antes da teórica, também consideraram esta sequência a mais indicada, destacando seu potencial estimulante e inovador. Contudo, independente da sequência adotada, foi consenso entre os participantes que as aulas de campo representam importantes meios para a promoção da apropriação dos saberes em Ecologia. Configurando-se como uma modalidade didática estimulante e ativa de ensinar Biologia e alinhando-se com as proposições dos documentos oficiais que orientam o ensino da referida área. Os dados permitiram compreender ainda, que a inversão de trabalho com a aula prática de campo seguida de aula teórica ou, o uso tradicional teoria seguida de prática, dependerá das proposições de aprendizagem ponderadas pelo professor, adequando-se as diferentes intenções pensadas para a aprendizagem de seu aluno. Para além dessa discussão e dos dados registrados nessa pesquisa percebeu-se que a investigação oportunizou ainda, aos professores em formação, refletirem sobre a multiplicidade de possibilidades no seu fazer pedagógico.

Veja o artigo completo: PDF