Resumo Trabalho

FLEXIBILIZAÇÃO CURRICULAR NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: REFLEXÕES ACERCA DA PARCERIA ENTRE O ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO E O ENSINO REGULAR NA REDE PÚBLICA MUNICIPAL DE SÃO LUÍ

Autor(es): DAYANE KERLY BORGES TEIXEIRA e orientado por PRISCILA DE SOUSA BARBOSA

A pesquisa busca explanar as ideias relevantes que marcaram o processo histórico da educação especial inclusiva, visando destacar como ocorreu e ocorrem as práticas inclusivas na escola pública de ensino regular. O estudo buscou como problemática investigar de que forma tem se dado a flexibilização do currículo na inclusão de alunos com deficiência no ensino regular nos anos iniciais do ensino fundamental na Rede Pública Municipal de São Luís-MA. Como objetivo geral do estudo, procurou-se analisar de que forma tem se dado a flexibilização do currículo na inclusão de alunos com deficiência no ensino regular na Rede Pública Municipal de São Luís-MA. Os procedimentos metodológicos da pesquisa consistem a investigação um caráter qualitativo e a abordagem exploratória e descritiva. O lócus escolhido para a pesquisa consiste em uma escola anexo de uma Unidade de Educação Básica, a qual pertence à Rede Pública Municipal de São Luís-MA, atende os anos iniciais do Ensino Fundamental, possui alunos de inclusão, Salas de Recursos Multifuncionais e principalmente abertura à proposta da educação inclusiva. Os materiais utilizados para obtenção dos dados configuram-se na observação não-participante e entrevistas estruturadas. Os participantes da pesquisa: 01 gestora, 01 coordenadora Pedagógica, 01 professora da sala de recursos e professoras do ensino regular que possuem alunos do público alvo da educação especial . Os achados evidenciam que a realidade da comunidade escolar possui uma abertura para a proposta da educação inclusiva e se preocupa com a participação e aprendizagem das crianças com deficiência que estão matriculadas na escola. A gestão e coordenação da escola afirmam ainda que, procurando proporcionar o suporte dentro das possibilidades oferecidas pela Rede, a escola está sempre engajada nesta causa, entretanto pontuou-se que fazer com que a comunidade escolar compreenda que a inclusão é necessária, não é algo fácil e imediato. Como alternativas metodológicas, tem sido realizadas ações como formações pedagógicas, a fim de que as professoras do ensino regular tenham auxílio para fazer as adequações necessárias em seus planejamentos. Nos achados observou-se a compreensão da escola de que os alunos com deficiência inclusos no ensino regular precisam que suas singularidades sejam evidenciadas e que o planejamento seja pautado a partir de suas dificuldades específicas os quais focam em sua individualidade, mesmo que as adaptações sejam apenas de pequeno porte. Observou-se ainda a existência de uma parceria consistente entre o ensino regular e o Atendimento Educacional Especializado na escola, onde trocas de informações e diálogo acontecem sempre, fato que favorece e contribui para que docentes, coordenação e gestão compreendam e realizem um trabalho mais eficaz com as crianças as quais possuem alguma deficiência.

Veja o artigo completo: PDF