Resumo Trabalho

REPERCUSSÕES DAS AVALIAÇÕES EXTERNAS SOBRE O TRABALHO DOCENTE NO ENSINO MÉDIO: UMA ANÁLISE DO EXAME NACIONAL DE ENSINO MÉDIO – ENEM NO MUNICÍPIO DE SÃO LUÍS – MA

Autor(es): ANDRESSA JORGEANA DA SILVA FERREIRA e orientado por VERÔNICA LIMA CARNEIRO MOREIRA

O artigo se refere às repercussões que as avaliações de larga escala, notadamente o Exame Nacional de Ensino Médio – ENEM, vêm produzindo sobre o ensino médio no Estado do Maranhão, especificamente no município de São Luís, com o objetivo de verificar quais os principais impactos desse modelo avaliativo sobre a escola média. O ENEM, considerado a maior avaliação nessa modalidade na América Latina, avalia quatro áreas (linguagens, códigos e suas tecnologias; ciências humanas e suas tecnologias; ciências da natureza e suas tecnologias; e matemática e suas tecnologias) e é tido pelo Governo Federal como um dos grandes responsáveis por definir prioridades e servir de base para a elaboração de novas políticas educacionais, além de favorecer a que pais, alunos, professores, estudantes, diretores e gestores das redes de ensino sejam alertados quanto aos desafios e dificuldades de cada região. Essa avaliação é realizada com o objetivo de verificar o desempenho do aluno ao término da escolaridade básica, aferindo o desenvolvimento de competências fundamentais ao exercício pleno da cidadania. A orientação é que, a partir do Enem, tendo como ponto de partida o seu desempenho individual, cada escola seja capaz de avaliar o seu trabalho e planejar ações que levem a melhorias no processo ensino-aprendizagem. Com a realização desta pesquisa, de natureza bibliográfica, documental e de campo, foi possível apreender, como resultados, que, a partir da década de 1990, as políticas educacionais instituídas no Brasil, apresentaram como ponto central a implementação das avaliações externas ou de larga escala, as quais passaram a assumir uma importância estratégica para a educação, como forma de aferir os dados e as informações consideradas relevantes para a (re)definição e gestão das políticas educacionais. Nessa perspectiva, cabe destacar que o ENEM se insere, nesse contexto, como parte de um conjunto de reformas no campo educacional e, de forma mais ampla, de reformas do Estado brasileiro. Constatou-se, no âmbito dessa pesquisa, uma crescente exigência para que os professores passem a atuar cada vez mais focados nos resultados dos exames, em detrimento do próprio processo educacional, favorecendo um controle central do mesmo, com reflexos sobre a atividade docente, dado que as avaliações em larga escala dificultam que se faça qualquer ligação concreta com a realidade cotidiana dos estudantes, das escolas, das regiões e dos diversos estados brasileiros, na contramão dos objetivos pedagógicos das avaliações e contrariando os princípios em prol de uma educação emancipadora, desconsiderando, ainda, a histórica desvalorização do magistério, configurada por meio de baixos salários, más condições de trabalho, ausência de um plano de cargos e carreira, formação inicial e continuada extremamente precária, o que, de acordo com a política atual, tende a ser vista, cada vez mais como responsabilidade do trabalhador, em detrimento do poder público.

Veja o artigo completo: PDF