Resumo Trabalho

DESAFIOS E POSSIBILIDADES DA GESTÃO PARTICIPATIVA: UM OLHAR PARA A AÇÃO GESTORA DE ESCOLA PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE TIMON-MA

Autor(es): CARLOS EDUARDO DE FREITAS NOGUEIRA e orientado por MARY GRACY E SILVA LIMA

RESUMO O presente trabalho apresenta o resultado de uma pesquisa efetivada na disciplina Gestão Escolar no curso de Pedagogia. A realização desta atividade objetivou investigar a realidade de uma gestão na escola pública, os desafios e as possibilidades para uma escola democrática e participativa. Na perspectiva da gestão, a escola vem superando os preceitos do modelo centralizado na administração, configurados por meios de centralismos, individualidade nas ações, hierarquização das funções e atividades, buscando pautar-se na participação de todos, na ampliação das responsabilidades, na abertura de oportunidades para debate de ideias (processos democráticos), no trabalho coletivo e ao mesmo tempo autônomo, Pois “ uma gestão educacional democrática e participativa está associada ao compartilhamento de responsabilidades no processo de tomada de decisão entre os diversos níveis e segmentos de autoridade do sistema de ensino e de escolas”. (LUCK, 2007. p. 44). No entanto é evidente que o modelo escolar brasileiro ainda percorre os caminhos autoritários, centralizadores e conservadores, tanto por parte dos professores quanto por parte da gestão escolar. Como forma de fundamentar o trabalho, foi utilizado material bibliográfico referente a linha de pesquisa desenvolvida. Como mecanismo de ressaltar ainda mais o que a teoria afirmava acerca dos preceitos de uma gestão democrática e participativa, buscou-se a pesquisa de campo, onde foram realizadas aplicações de questionários com a equipe gestora, evidenciando concretamente a realidade gestora em uma escola. No momento da aplicação do questionário, coordenadora pedagógica e diretora adjunta estavam presentes, mas a maior parte das respostas, participações, e conhecimento da escola, esteve relacionado a coordenadora pedagógica. Diversos assuntos (até mesmo os de cunho administrativo e financeiro) a mesma discorreu com amplo conhecimento. A diretora adjunta reservou-se apenas a concordar com as falas da coordenadora, evidenciando outra problemática inerente a gestão nas escolas: o vice decorativo, figura meramente sem envolvimento nas decisões, e desconhecedora das ações do titular. Outro ponto ressaltado na pesquisa, refere-se aos processos de escolha da equipe gestora da escola. As escolas públicas do município, passam a cada dois anos por eleições diretas, que visam eleger os seus gestores. Cabe ressaltar que há uma brecha neste rito. Apenas ocorrem eleições nas escolas que possuem um quantitativo de 300 alunos. Nas demais com números inferiores, ocorre o processo de indicação por parte da Secretaria de Educação, tendo estes, mandato de quatro anos (até a duração do período em que o gestor municipal estiver no cargo). Chegou-se ainda, a outro resultado: o processo de capacitação dos gestores escolares. Foi Ressaltado pela coordenadora Pedagógica que a equipe gestora participa de uma capacitação mensal, organizada pela secretaria Municipal de Educação-SEMED, em parceria com a Universidade Federal do Piauí, o “Gestão Mais”, onde ocorrem socialização das atividades desenvolvidas em cada escola ao longo do mês, buscando compreender e trabalhar os pontos fortes e dificuldades de cada uma. Conclui-se que a gestão escolar passa por dilemas e desafios, que podem perfeitamente ser superados, tendo como exemplos o processo de eleição, e capacitações, processos estes, coletivos, participativos, que demonstram uma verdadeira gestão pode dar certo.

Veja o artigo completo: PDF