Resumo Trabalho

JOGOS MATEMÁTICOS PARA O ENSINO MÉDIO: QUAL A PERCEPÇÃO DOS LICENCIANDOS EM MATEMÁTICA?

Autor(es): LARICIO DE ANDRADE, ITALO PEREIRA DA SILVA MEDEIROS, ANTONIO CARLOS BELARMINO SEGUNDO e orientado por JÚLIO PEREIRA DA SILVA

O jogo matemático como recurso didático favorece ao educando e ao educador potencializações de aprendizado, assim sendo, seu uso em sala de aula propicia melhor abstração de alguns conceitos trabalhados em aula. Percebe-se um envolvimento mais motivador tanto pelo professor quanto pelo aluno, além disso, os jogos usados para fins didáticos fortalecem a relação entre ambos, promovendo assim uma aprendizagem significativa. No campo da educação matemática as pesquisas recomendam o uso de jogos com fins pedagógicos em qualquer nível da educação Básica. No Ensino Médio, por exemplo, é possível usar esse meio estabelecendo estratégias para desafiares os alunos nas aulas de Matemática. Sendo assim, este artigo tem como objetivo apresentar a percepção de alunos do curso de Licenciatura em Matemática sobre a utilização dos jogos matemáticos no Ensino Médio. Foi realizada uma pesquisa com 50 graduandos em licenciatura em Matemática da Universidade Estadual da Paraíba no campus de Patos, de períodos distintos, abrangendo do primeiro ao último. Como instrumento de coleta de dados foi aplicado um questionário contendo questões abertas e fechadas. As perguntas objetivavam investigar se os alunos usaram jogos enquanto alunos do Ensino Médio, e se em suas futuras práticas pedagógicas fariam o uso desse recurso. Os dados revelam que os licenciandos conheciam ao menos um jogo e usaram quando foram alunos da última etapa da Educação Básica. Constatou-se também a aprovação deste recurso e que a maioria faria uso dele para auxiliar os processos ensino e aprendizagem. Assim, percebe-se, durante a realização desta pesquisa que o uso de jogos gerou resultados satisfatórios na vida escolar dos sujeitos pesquisados. Ademais, o artigo traz as limitações e as contribuições do estudo para formação inicial do professor de Matemática.

Veja o artigo completo: PDF