Resumo Trabalho

Autor(es): ALDA LUCIARA GOMES DE OLIVEIRA, GUSTAVO HENRIQUE BRITO SILVESTRE e orientado por IRANILSON BURUTI DE OLIVEIRA e orientado por IRANILSON BURUTI DE OLIVEIRA

A educação é uma ferramenta relevante para alcançar e modificar hábitos sociais. De tal modo que os médicos e dentistas do início do século XX, também pensavam dessa maneira, e viam na educação escolar uma estratégia de generalizar hábitos em relação à saúde em áreas como a bucal. Nesta direção, este trabalho se propõe analisar a circulação das prescrições do saber médico-odontológico no âmbito escolar paraibano no período de 1920 e 1940, bem como, analisar os reclames publicitários sobre o tratamento e a beleza dos dentes como discurso de formação de novas sensibilidades nacionais. Para isso, realizou-se uma pesquisa documental que adotou como fonte principal o periódico A União. Como estratégia metodológica, buscou-se dialogar com a teoria da Nova História Cultural, enfocando não apenas os mecanismos de produção dos objetos culturais, como também os seus mecanismos de circulação e interpretações, repensando os conceitos de leituras e de apropriação de discursos. Sendo assim, é possível identificar no material analisado apresentação da educação bucal como um processo civilizatório e higiênico, onde ter um rosto belo e um sorriso bonito passou a serem símbolos da nação de “ordem” e do “progresso”. Dessa forma buscaremos demonstrar como foi a escolarização desses hábitos e como eles influenciaram uma sociedade Tendo em vista que as instalações de gabinetes dentários nos grupos escolares paraibanos, a partir de 1924, configuraram uma estratégia de mostrar que cuidar dos dentes e da boca é de completa importância para um conceito de civilização.

Veja o artigo completo: PDF