Resumo Trabalho

Autor(es): ALLEN CLISS CORREIA FERREIRA, SALOMITE DOS SANTOS DELGADO e orientado por JOSENALDO LOPES DIAS e orientado por JOSENALDO LOPES DIAS

O desenvolvimento motor é um processo de alterações no comportamento, referente a idade, postura e na movimento da criança. É um processo de mudanças que vai progredindo dos movimentos simples e desorganizados para habilidades motoras complexas e organizadas, onde cada indivíduo apresenta um tipo específico de desenvolvimento que podem ser influenciados por uma cadeia de elementos intrínsecos que passam entre ele e o ambiente. A lateralidade é um aspecto fundamental no desenvolvimento motor da criança, pois representa a conscientização dos dois lados do corpo, lado esquerdo e lado direito. A preferência manual é expressa a partir do uso frequente de uma mão no desenvolvimento de algumas ações como em situações de manipular objetos, alcançar, desenhar, cortar entre outros. A presente pesquisa trata-se de um estudo descritivo exploratório, de caráter transversal. O objetivo deste estudo foi analisar a habilidade manual em escolares na faixa etária de 7 a 9 anos em função da lateralidade. Participou da pesquisa 14 crianças de ambos os gêneros, divididos em dois grupos o primeiro formado por crianças sinistras o GS e o segundo formado por crianças destras o GD. Foi utilizado o teste de pegar e colocar (Peg Placing Fine Motor Skill), que faz parte de uma bateria de avaliação de movimentos para crianças (Movement ABC), consistindo em retirar 16 pinos de um lado e recolocar o maior número possível do outro lado de um tabuleiro específico em 30 segundos, numa única tentativa. De acordo com os resultados apresentados podemos observar que o grupo destro (GD) apresentou uma média e desvio padrão DP melhor que o grupo de sinistros (GS), com os seguintes valores GD 11,02 pontos e DP de ±1,41, já o GS obteve uma média de 10,51 com DP de ± 3,07, outro ponto que merece destaque foi para as crianças de menor idade do GD que apresentaram pontuação significativa em relação as mais velhas dos dois grupos. Concluímos que em algumas variáveis analisadas ambos os grupos se mostraram equiparados com relação a preferência manual. Porém, o estudo foi extremamente relevante para entendermos crianças destras e sinistra em função do desenvolvimento da habilidade manual e a lateralidade. Sugerimos que outras pesquisas com novas variáveis sejam realizadas para se obter melhores respostas sobre a habilidade manual em sinistros e destros, e até mesmo sua influência no desenvolvimento cognitivo.

Veja o artigo completo: PDF