Resumo Trabalho

Autor(es): MAILSON ALAGONEIS BARBOSA DE BRITO, JOSÉ WELLINGTON CÂNDIDO DO NASCIMENTO, JAILTON NUNES NÓBREGA, LARISSA SOARES MARIZ VILAR DE MIRANDA e orientado por MARIA ZÉLIA ARAUJO e orientado por MARIA ZÉLIA ARAUJO

A hospitalização é bastante desagradável para qualquer pessoa adulta, criança ou acompanhante. Isto independentemente da faixa etária dos envolvidos na ação, pois a internação sempre é um fator traumatizante seja por um longo ou curto tempo. Os traumas da hospitalização acometem, principalmente, crianças onde grande parte delas é vulnerável, pois passam por procedimentos invasivos dolorosos privados de qualquer escolha de tratamento. Sabe-se que o riso é uma válvula de escape que o corpo utiliza nos apuros da vida. O riso aumenta a secreção de endorfinas, relaxam as artérias, aceleram o pulso e baixa a pressão, melhorando assim a circulação beneficiando a reação imunológica. O objetivo do estudo é realizar uma compilação da literatura pertinente a respeito da presença do riso como terapia aos pacientes internados na rede hospitalar e estimular a promoção de educação em saúde para que os profissionais adiram a essa prática. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica de caráter descritivo. Nesta pesquisa foi possível notar que essa modalidade de assistência através do lúdico na instituição hospitalar permite uma abordagem mais próxima do paciente e humanizada, onde é possível estreitar os vínculos de modo que facilita a interação profissional/paciente. O estudo revelou que as consequências da terapia do riso são positivas, uma vez que a ansiedade e estresse diminuíram, o vínculo e a confiança do paciente foram encorajados, além de permitir que seja acelerado o processo de cura, nos casos possíveis. Ainda pode- se destacar outros benefícios do riso para o paciente, que é de proporciona taxas menores de estresse na rotina hospitalar, de modo que facilita o trabalho e a integração entre os profissionais.

Veja o artigo completo: PDF