Resumo Trabalho

DO MENINO POBRE AO CRIADOR DA CAMPANHA NACIONAL DA ESCOLA DA COMUNIDADE: A CONSTRUÇÃO DA MEMÓRIA DE FELIPE TIAGO GOMES EM SUA TERRA NATAL, PICUÍ/PB

Autor(es): SILVIA TAVARES DA SILVA, WANDRYA ELIAS DOS SANTOS e orientado por SILVIA TAVARES DA SILVA e orientado por SILVIA TAVARES DA SILVA

Nosso artigo buscará discutir a construção da memória de Felipe Tiago Gomes na sua cidade natal, Picuí, e como esta memória está associada à experiência educacional implantada por esse educador, político e professor naquela localidade, como parte do seu projeto de educação “popular”: a expansão da Campanha da Escola da Comunidade (CNEC), idealizada por ele, ainda na década de 1940. Para tal investida, analisaremos alguns relatos memorialísticos do próprio Felipe Gomes, como os que compõem o seu livro Escolas da Comunidade, bem como de alguns colaboradores da CNEC na cidade de Picuí, como os da professora Maria de Lourdes Henriques, no seu livro-documentário CNEC/ Picuí, 25 anos. Abordaremos tais relatos, levando em conta que estes foram construídos, obedecendo, como nos ensina De Certeau (1982), a uma prática e a um lugar social desses autores e são essa prática e lugar social que definiram a relação entre o dito e o não dito sobre a CNEC e sobre o seu idealizador, Tiago Felipe Gomes. Ainda discutiremos os “lugares de memória”, que foram criados em homenagem àquele que seria o “personagem mais ilustre” de Picuí, são eles: o memorial-casa e o memorial-estátua. Entendemos que estes forjam uma identificação da cidade, como um todo, com a CNEC e o seu idealizador, visto que estes espaços são criados por grupos políticos locais junto a seus familiares e, assim, passam a representar o lugar material, funcional e simbólico de uma memória que se pretende cristalizar e propagar para gerações futuras. Uma memória enquadrada dentro de uma perspectiva linear, harmoniosa constituída de cima para baixo.

Veja o artigo completo: PDF