Resumo Trabalho

Autor(es): ALANNA THEREZA DE FARIAS CARVALHO, RICARDO CASSIANO DA SILVA NASCIMENTO e orientado por WEZILA GONÇALVES DO NASCIMENTO e orientado por WEZILA GONÇALVES DO NASCIMENTO

Introdução: A política nacional do idoso (PNI), Lei nº8. 842, de 4 de janeiro de 1994, e o estatuto do Idoso, Lei nº 10.741,de 1º de outubro de 2003, define Idoso pessoa com 60 anos ou mais. Já a Organização Mundial da Saúde (OMS) (2002) define o idoso a partir da idade cronológica, portanto, idosa é aquela pessoa com 60 anos ou mais, em países em desenvolvimento e com 65 anos ou mais em países desenvolvidos. É importante reconhecer que a idade cronológica não é um marcador preciso para as mudanças que acompanham o envelhecimento. Metodologia: Trata-se de um ensaio teórico reflexivo que propõe a discussão acerca dos desafios a serem enfrentados pelos profissionais que atuam nas diversas áreas da saúde, fazendo ou tentando efetivar a educação em saúde para idosos a fim de ajuda-los a evitar quedas e incentivar o autocuidado. O ensaio teórico tem como fundamentos a exposição lógica e reflexiva, além da argumentação minuciosa, com elevado grau de interpretação e julgamento pessoal. Resultados e Discussões: Avaliar a susceptibilidade para a ocorrência de queda nos idosos é uma opção viável e adequada por se acreditar que os diagnósticos representam o foco do cuidado de enfermagem. O diagnóstico de enfermagem de risco de queda descreve um julgamento clínico em que um indivíduo/grupo está mais vulnerável ao desenvolvimento de um problema do que outros na mesma situação ou em situação similar. Para isso, sugere-se a criação de grupos de idosos, onde cada um fala de suas experiências, como é sua vida, quem cuida dele, como ele é cuidado, para que com esses dados coletados, a equipe de enfermagem começa a desenvolver as formas adequadas de cuidados e a forma correta de como evitar quedas, principalmente as caseiras. Conclusão: O crescimento de idosos na população brasileira traz consigo a necessidade de uma discussão ampla por parte do governo e sociedade voltada à efetivação de programas específicos que privilegiem um envelhecimento saudável e de minimização de riscos enfrentados por esta faixa etária, como o risco de quedas, tão presente nesta população. Destaca-se que a queda pode ser evitada com medidas preventivas, que proporcionem um ambiente seguro para o idoso, como alterações efetuadas em sua casa, no intuito de facilitar seu deslocamento e equilíbrio. O enfermeiro atua juntamente com a equipe multidisciplinar, realizando atividades educativas direcionadas ao idoso e sua família e cuidadores, com o intuito de ajudá-los a identificar os fatores de risco de queda. Esta medida constitui importante estratégia de prevenção de quedas. Percebe-se com este estudo que a maioria dos idosos são vulneráveis e frágeis, necessitam de cuidados específicos, principalmente preventivos.

Veja o artigo completo: PDF